Anemia no bebê: como evitar, como tratar

A anemia é um problema bastante comum que acaba sendo uma preocupação constante de várias mães. Muitas pessoas podem achar que se preocupar com…

Por Editorial MDT em 23/08/2013

A anemia é um problema bastante comum que acaba sendo uma preocupação constante de várias mães. Muitas pessoas podem achar que se preocupar com esse tipo de disfunção é um exagero, mas de acordo com estudos científicos, quase 50% das crianças com até 3 anos de idade são anêmicas. Entenda mais sobre o assunto e saiba como evitar e tratar a anemia no bebê.

A anemia ferropriva é o tipo mais comum. (Foto: divulgação)

O que é anemia

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a anemia é uma condição representada pela diminuição de hemoglobina no sangue. A hemoglobina é uma proteína essencial no transporte de oxigênio para os tecidos, permitindo o adequado funcionamento do organismo.

Existem várias causas de anemia, que normalmente são doenças que levam à diminuição de hemoglobina no sangue. Entretanto, a anemia por deficiência de ferro é o tipo de maior importância clínica, chegando a atingir cerca de 90% das crianças portadoras desse problema.

O ferro é um elemento essencial na constituição da hemoglobina, e a falta desse nutriente pode ocorrer por motivos que vão desde a carência nutricional até perdas importantes de sangue, onde há diminuição nas concentrações de ferro.

O aleitamento materno exclusivo até o 6º mês de vida ajuda a prevenir anemia. (Foto: divulgação)

Como prevenir e tratar anemia em bebês

Algumas medidas são importantíssimas para assegurar a boa saúde do pequenino e evitar a anemia. Confira:

  • Aleitamento materno

Até os 6 meses de vida, todas as necessidades nutricionais do pequenino são supridas pelo aleitamento materno exclusivo. Os níveis de nutrientes como o ferro, presentes no leite da mãe, são tão adequados para a criança que, durante esse período, não é preciso nenhum tipo de complementação ou introdução de alimentos sólidos.

Mães de crianças que consomem leite de vaca devem ficar atentas, pois essas crianças apresentam maiores chances de desenvolver anemia, uma vez que esse tipo de leite tem baixo teor de ferro, além de uma menor capacidade de absorção pelo organismo.

  • Bebês prematuros

Com crianças prematuras é preciso ter cuidado redobrado, pois com o rápido crescimento fora do útero materno, ha necessidade de níveis maiores de ferro, e por isso é muito indicado iniciar a complementação desse mineral antes mesmo do pequeno apresentar o problema.

  • Alimentação infantil

Após os 6º mês de vida é necessário introduzir as papinhas na alimentação infantil. A melhor forma de prevenir a anemia, a partir dessa idade, é apostando em uma alimentação balanceada e equilibrada, com produtos ricos em ferro e suplementando a dieta com aleitamento materno. Os principais alimentos ricos em ferro são a carne vermelha, gema de ovo, frango, peixe, feijão, soja, lentilha, ervilha, espinafre, brócolis, couve e outras verduras de folhas verde escuras.

Vale a pena lembrar que a absorção de ferro pelo organismo pode ser potencializada com a ingestão de produtos ricos em vitamina C, como as frutas cítricas (laranja, acerola e limão).

Introduzir alimentos ricos em ferro nas papinhas é uma medida eficiente de prevenção. (Foto: divulgação)

A anemia é um problema bastante prevalente entre as crianças. A causa mais comum desse tipo de disfunção é a carência de ferro, que pode ser facilmente solucionada com algumas medidas simples. É preciso reforçar a importância de realizar uma consulta com profissional devidamente qualificado, a fim de investigar a real causa do problema e instituir o tratamento mais adequado para cada caso.

Top