Ameaçado pelo rebaixamento, Cruzeiro coleciona números negativos no Brasileirão

Ameaçado pelo rebaixamento, Cruzeiro coleciona números negativos no Brasileirão

Equipe celeste já teve quatro treinadores, não vence há oito rodadas e tem a pior campanha do segundo turno

Por Redacao em 03/10/2011

Com apenas um gol no Brasileirão, Roger é uma das maiores decepções do Cruzeiro

Antes do início do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro era tido por grande parte da mídia como um dos principais favoritos ao título nacional. Depois de conquistar o título mineiro e ser eliminado da Copa Libertadores com apenas uma derrota, a Raposa dava mostras de que entraria com tudo na disputa do Brasileirão.

Porém, contrariando o prognóstico, a equipe celeste tem sido uma grande decepção e apresenta números para lá de negativos. Dona de uma campanha pífia no nacional, a Raposa ocupa a 16ª posição, com 29 pontos, e está seriamente ameaçada pelo rebaixamento, já que tem apenas dois pontos a mais do que o Atlético Paranaense, primeira equipe na zona da degola.

Um dos motivos que pode ter levado o time mineiro a essa situação é a constante troca de treinadores. Em 27 rodadas, o Cruzeiro já foi dirigido por quatro técnicos diferentes: Cuca, Joel Santana, Émerson Ávila e, atualmente, Vágner Mancini. Definitivamente, o problema na Toca da Raposa parece não estar ligado apenas ao comando técnico do clube.

Com o fantasma do descenso cada vez mais vivo entre os cruzeirenses, a equipe não tem demonstrado ter forças dentro de campo para reverter o cenário. O time mineiro não vence há oito rodadas: são seis derrotas e dois empates. Neste período, levou 15 gols e marcou apenas cinco. Balançar as redes, por exemplo, tem sido um problema recorrente pelos lados da Toca neste campeonato. O time celeste tem o segundo pior ataque da competição, com 31 gols feitos, sendo superior apenas ao do Atlético Paranaense, que marcou somente 27.

Para se ter uma ideia do momento ruim pelo qual passa o time, o Cruzeiro tem disparada a pior campanha do segundo turno. Dos 24 pontos disputados, a Raposa somou apenas dois, aproveitamento de 8,3% dos pontos.

Diante do cenário totalmente negativo, os cruzeirenses têm poucos motivos para acreditar que o elenco vai dar a volta por cima e colocar o Cruzeiro em uma posição de destaque.

Top