Aluno disléxico: como lidar, dicas

Em uma sala de aula, o professor é obrigado a lidar com diferentes tipos de alunos: os que aprendem rapidamente, os que têm mais…

Se o professor não souber lidar com o seu aluno disléxico, poderá causar problemas de auto-estima. (Foto: Divulgação)

Em uma sala de aula, o professor é obrigado a lidar com diferentes tipos de alunos: os que aprendem rapidamente, os que têm mais dificuldades, os interessados, os desinteressados, enfim, vários tipos de personalidades. Entre eles, podem haver alunos disléxicos, ou seja, com dificuldades de escrita. Portanto, veja algumas dicas de como lidar com aluno disléxico.

A dislexia não é uma doença, mas um distúrbio genético e neurobiológico que afeta o funcionamento cerebral, o que causa falhas no processamento linguístico relacionado à escrita. Por isso, a dislexia não está relacionada à falta de inteligência, visto que muitos gênios como Albert Einstein, Agatha Christie, Leonardo da Vinci e Thomas Edson eram disléxicos.

Como o problema dos disléxicos é a falha da memória na hora de escrever algo, o professor deve ser muito paciente e perseverante para que todos os seus alunos consigam se desenvolver igualmente. Para tanto, os disléxicos precisam se sentar próximos ao professor, de modo que possam esclarecer as suas dúvidas facilmente.

O disléxico tem um distúrbio neurobiológico que o faz ter dificuldades de escrita. (Foto: Divulgação)

Além disso, as novas informações têm de ser repetidas pelo professor até que os alunos as compreendam, o uso do computador como ferramenta de digitação precisa ser incentivado, assim como o seu corretor ortográfico. O professor que tem alunos disléxicos deve ter a noção de que eles não são preguiçosos, porém, têm um distúrbio cerebral e, por isso, nunca pode compará-los com o resto da turma.

Para corrigir os erros dos alunos disléxicos, o professor precisa ter muito cuidado ou poderá afetar a sua auto-estima. Sendo assim, não use canetas vermelhas, que deixam os erros em muita evidência. Corrija-os a lápis e devolva os trabalhos para que eles os corrijam, pois as informações contidas neles podem estar corretas.

Leia Também:  Dieta da água morna: como funciona, saiba mais

Um exercício muito bom para quem sofre de dislexia é o de ver-observar, tapar e escrever. Desse modo, o disléxico treina a sua memória e aperfeiçoa a sua escrita. A rotina faz com que esse grupo de pessoas adquira o sentido de organização, o que é muito importante para ele. Então, o professor precisa seguir sempre a mesma rotina em sala de aula a fim de fazê-lo aprender.

Seja paciente e perseverante com o seu aluno disléxico para não traumatizá-lo. (Foto: Divulgação)

Não é fácil lidar com alunos disléxicos, mas não é impossível. O papel do professor é ensinar, portanto, seja paciente e você terá resultados incríveis com esses alunos que, aos poucos, desenvolverão as suas habilidades com a sua ajuda.

Top