Alimentação adequada para bebês: dicas

A alimentação é um ponto essencial à boa saúde, independentemente da idade. As mães, especialmente as de primeira viagem, costumam ter várias dúvidas sobre…

A alimentação é um ponto essencial à boa saúde, independentemente da idade. As mães, especialmente as de primeira viagem, costumam ter várias dúvidas sobre o que seus filhos podem ou não comer. Por isso é vale a pena conhecer algumas dicas importantes sobre a alimentação adequada para o bebê.

É muito importante manter uma alimentação infantil balanceada. (Foto: divulgação)

Os alimentos são um assunto muito sério quando falamos de saúde e bem-estar infantil. Antes de nascer, todos os nutrientes absorvidos pelo bebê são aqueles que a mãe oferece à criança através da placenta, pela ingestão de alimentos balanceados. Porém, após o nascimento, a nutrição do pequenino começa a se modificar, sendo composta apenas pelo leite materno nos primeiros seis meses e, depois, por outros alimentos.

Importância da amamentação

Especialistas, juntamente com a Organização Mundial de Saúde (OMS), recomendam o aleitamento materno exclusivo até os seus meses de idade, devendo ser mantido até os dois anos. Ou seja, antes de completar seis meses de vida, não se deve oferecer nada ao bebê além do leite materno. A explicação para tal recomendação é baseada em dois pontos: o primeiro é que a criança apresenta um organismo ainda muito frágil e seu sistema digestório não está preparado para lidar com diferentes tipos de alimento. A probabilidade de causarmos alergias ou desconfortos abdominais é muito grande.

A segunda justificativa, e talvez mais importante, é de que os nutrientes oferecidos pelo leite materno não estão presentes em nenhum outro alimento. Nele estão a água para hidratar, as proteínas para o crescimento e as gorduras para que o bebê ganhe o peso necessário conforme a idade. Isso sem mencionar os anti-corpos, importantes para evitar adoecimentos, que podem ser muito graves se a criança for muito jovem, além do contato com a mãe, ajudando a criar um vínculo afetivo muito maior.

O leite materno oferece nutrientes que não podem ser encontrados em outro lugar. (Foto: divulgação)

A alimentação após os 6 meses de vida

Quando se inicia a introdução de outros alimentos na rotina da criança, pode-se dizer que o desmame foi iniciado. Esse pode ser um período particularmente difícil para a mãe sem a orientação adequada.

Leia Também:  Atividades Educativas para Imprimir

É comum inicialmente a criança apresentar rejeição às novas opções, e fica fácil de se entender o motivo: afinal, ela só conhecia o leite materno até aquele momento.

O importante nesta fase é oferecer gradualmente e não desistir tão facilmente. De acordo com os especialistas, são necessárias até dez tentativas com um tipo de alimento para que a criança “aprenda a gostar”. E é exatamente esse o objetivo: ensinar o bebê a reconhecer outros sabores.

Esquema geral: Siga abaixo as recomendações simplificadas e acabe com as dúvidas

  • 6 meses: papinha de frutas
  • 7 meses: papinha/Suco de fruta + papinhas salgada
  • 8 meses:  Papinha/ Suco de fruta + papinha salgada  (duas ao dia)
  • 9 a 11 meses: : Mesmo esquema, mas tentar aproximar cada vez mais a alimentação da criança com a alimentação que a família está acostumada
  • 1 ano: A criança deve ser capaz de comer juntamente com a família todos os alimentos habituais.

Cabe lembrar que o leite materno pode ser sempre oferecido durante esta fase, mas os nutrientes necessários para o crescimento do bebê cada vez mais serão originários da própria comida do pai e da mãe.

Toda criança gosta de doce?

Do primeiro ao segundo ano de vida, muitos pais podem ter problemas com crianças que se recusam a comer. É nesta fase que a criança começa a desenvolver preferências alimentares e desenvolve os gostos dos quais vai querer distância pelos próximos anos.

Sendo assim, forçar alimentos acaba não sendo uma boa opção, já que a refeição deve ser um momento agradável e não o contrário.

Isso não significa que os pais devem se render aos pedidos por guloseimas. Refrigerantes, doces, salgadinhos, açúcar, sal ou até excesso de temperos devem ser evitados. É importante que a criança conheça o sabor dos alimentos para desenvolver seu paladar próprio.

A papinha salgada deve ser introduzida no 7º mês. (Foto: divulgação)

Alimentação adequada é um tema muito amplo, que ainda é cercado de muitos mitos e dúvidas. Dessa forma, é importante manter-se sempre informado com pediatras e especialistas da área da saúde. A dúvida gera conhecimento. E é através desse entendimento surge o cuidado adequado para com os pequeninos.

Leia Também:  Sapatos de noiva: como escolher

Top