Aids tem nova esperança de cura

Aids tem nova esperança de cura, após a publicação de um estudo científico na edição mais recente da revista “Clinical Microbiology and Infection”, que…

Aids tem nova esperança de cura, após a publicação de um estudo científico na edição mais recente da revista “Clinical Microbiology and Infection”, que descreveu um fenômeno natural através do qual cientistas franceses acreditam que dois homens portadores do vírus HIV tenham se curado.

Aids tem nova esperança de cura (Foto: Divulgação)

Conforme a notícia, os dois pacientes, que não passaram por nenhum tipo de tratamento, estavam infectados com o HIV, mas não apresentavam sintomas ou quantidade detectável do vírus da Aids no sangue.

E a partir de uma alteração em um dos genes do HIV, ocorrida naturalmente, o vírus acabou ficando inativo e se integrando às células humanas, processo que, de acordo com os pesquisadores responsáveis pelo estudo, pode ser o primeiro passo para a cura da Aids.

Mitos e verdades sobre Aids

Fim da epidemia de Aids está previsto para 2030

Aids tem nova esperança de cura

De acordo com os cientistas franceses, a integração do HIV ao DNA humano inativa o vírus (Foto: Divulgação)

Um dos pacientes que participaram do estudo que mostra uma nova possibilidade de cura para Aids foi diagnosticado com Aids em 1985, enquanto o outro em 2011. Nenhum deles apresentava conhecidos fatores de resistência ao HIV, como mutações na proteína CCR5, que possibilita a infecção de células pelo vírus.

Neles, o vírus que causa a Aids foi inativado por meio de um sistema que interrompe a informação fornecida pelos genes do vírus, marcando o fim da tradução de um gene em proteína. Assim, o HIV perde a sua capacidade de se multiplicar, mas ainda permanece no DNA dos infectados.

A descoberta surgiu após o acompanhamento de dois pacientes soropositivos, que aparentemente se curaram da Aids (Foto: Divulgação)

O detalhe é que um fenômeno semelhante já havia sido observado em coalas. Conforme os cientistas, um vírus de macaco, que causa câncer e leucemia, não traz mais problemas a eles, após a sua integração e neutralização no genoma dos animais, resistência que é transmitida aos seus filhos.

Leia Também:  Maconha ainda é a principal droga consumida na América do Sul

Os pesquisadores revelaram também que provavelmente trata-se de um mecanismo comum em epidemias anteriores, que pode ocorrer a um determinado número de pessoas com Aids.

Como o processo pode ser induzido em outros pacientes

O procedimento de inativação do vírus HIV pode ser induzido em outros pacientes através do uso de medicamentos, que estimulariam a ação da enzima Apobec, responsável pela ação (Foto: Divulgação)

O processo de inativação do vírus HIV, relatado na pesquisa que revelou essa nova esperança de cura para a Aids, teria sido causado pela ação de uma enzima, a Apobec. E como ela pode ajudar outros pacientes soropositivos?

De acordo com os cientistas que participaram do estudo, uma das possibilidades é usar medicamentos para estimular essa mesma ação da enzima em outros portadores do HIV, permitindo a integração do vírus ao DNA humano (endogenização).

Top