Aeroportos argentinos voltam a funcionar aos poucos

A reprogramação dos voos cancelados nos aeroportos argentinos pode demorar até 3 dias, segundo secretário argentino de Transportes, Juan Pablo Schiavi. As viagens começaram…

A reprogramação dos voos cancelados nos aeroportos argentinos pode demorar até 3 dias, segundo secretário argentino de Transportes, Juan Pablo Schiavi. As viagens começaram a ser retomadas nesta segunda-feira (17) depois que os estabelecimentos pararam de funcionar durante um tempo em decorrência de situações climáticas.

“Pedimos aos usuários que em lugar de ir aos aeroportos, liguem para suas companhias para obter informações sobre os novos horários de seus voos”, comentou Schiavi em entrevista a uma rádio de Buenos Aires, afirmando que o aeroporto não resolve esse tipo de problema e sim as empresas responsáveis pelos voos.

“A normalização de todos os voos levará um tempo”, reconheceu o secretário. Autoridades dos aeroportos de Ezeiza e Aeroparque começaram dar permissão a decolagens na manhã de ontem.

Algumas cidades sofreram com o problema de cancelamento logo no sábado (15), quando nuvens de cinzas expelidas pelo vulcão chileno Peyehue-Cordón Caulle impossibilitavam a circulação de aeronaves. Apesar de estar em atividade desde junho, o vulcão não para de emitir densas partículas com frequência, proporcionando riscos ao trafego aéreo.

Entretanto, nas últimas semanas não foram expelidas cinzas pelo vulcão, porém essas partículas ficaram acumuladas no solo da região da Patagônia, que com os ventos fortes foram sopradas. Especialistas afirmam que os ventos não devem parar por aí. Normalmente, segundo eles, as rajadas se intensificam nos meses de outubro e novembro, o que pode trazer ainda mais problemas aos aeroportos argentinos.

Mais de 12 mil passageiros foram afetados com a situação.

Top