Adoção Internacional De Crianças, Como Funciona

Adotar uma criança é um dos gestos mais bonitos de amor e corresponde a melhor opção para quem não pode ter filho. Milhares de…

Adotar uma criança é um dos gestos mais bonitos de amor e corresponde a melhor opção para quem não pode ter filho. Milhares de pessoas estão na fila de adoção no Brasil e o processo costuma ser bastante burocrático. A justiça é rigorosa para gerar autorização e tornar possível o ato de adotar uma criança abandonada.

Os casais que desejam adotar uma criança precisam de uma estrutura familiar sólida, ou seja, condições favoráveis para acolher um filho adotivo e proporcionar a ele boas condições de vida. O ato jurídico da adoção pode levar meses ou até anos, dependendo a intervenção do juiz ao longo do processo.

Vários motivos podem levar um casal a optar pela adoção de uma criança, como a impossibilidade de ter filhos biológicos e a vontade de criar novos laços na família. Independente da razão para adotar, os adotantes são avaliados por assistentes sociais e também pelos representantes do Mistério Público para que a adoção seja sancionada.

A adoção internacional de crianças tem sido bastante considerada no Brasil, onde casais estrangeiros entram nas filas. A prioridade para adotar normalmente é dada aos brasileiros, mas as pessoas vindas do exterior também contam com boas chances no processo de adoção.

Como funciona a adoção internacional?

Os casais brasileiros que moram no Brasil ou no exterior possuem prioridade na adoção, depois disso a Justiça considera a possibilidade de adoção internacional. Os pedidos para adotar uma criança são encaminhados para o país em questão e passam a ser acompanhados pela Comissão Estadual Judiciária de Adoção Internacional (Cejai).

Normalmente as crianças que são encaminhadas para adoção internacional possuem mais de 5 anos e estão sobre a guarda do Governo. Os pais estrangeiros conhecem os pequenos por fotos e depois fazem o pedido de adoção. Somente depois que a solicitação for aprovada eles podem agendar uma visita ao Brasil para conhecer a criança.

Leia Também:  Passagens Online Expresso de Prata

A adoção por pais estrangeiros envolve bastante burocracia, sendo que a entidade responsável monitora todos os encontros. Os adotantes passam por um estágio de convivência que dura em média 30 dias, um prazo ideal para criar vínculo com a criança e ter os primeiros contatos.

O promotor é responsável por apresentar o padecer da proposta de adoção para o juiz após o período de convivência. Com todos os quesitos aprovados e documentação regularizada, os adotantes podem levar a criança para o exterior. A família ficará sendo acompanhada por dois anos e as informações serão enviadas para o Cejai.

Top