Acidentes com pedestres usando fone de ouvido triplicou em seis anos

O número de severos acidentes com pedestres que caminham com fones de ouvidos triplicou em 72 meses, de acordo com uma pesquisa divulgada na…

Imagem: (Foto Divulgação)

O número de severos acidentes com pedestres que caminham com fones de ouvidos triplicou em 72 meses, de acordo com uma pesquisa divulgada na revista Injury Prevention. A idade média dos indivíduos atingidos é de 21 anos. Entre eles, um pouco mais da metade (55%) foram abordados por trens. Dois terços deles são do sexo masculino e 67% possuía menos de 30 anos.

As vítimas são sobretudo adolescentes e jovens adultos, sendo a maior parte dos acidentes em áreas urbanas e somente um em dez casos incide em zona rural, segundo uma pesquisa feita entre janeiro de 2004 e junho de 2011. Durante este intervalo, 116 casos foram notados. Em 2004 e 2005 foram 16 casos, já em 2010 e 2011 este número aumentou para 47. Dos 116 encontros, 81 (70%) foram fatais. Em três quartos dos acidentes, testemunhas narraram que a vítima utilizava fones de ouvido no momento do incidente. Em 29% dos acontecimentos, fizeram citação de buzinas ou sirenes de alarmes ligadas antes do indivíduo ser atingido.

Para os cientistas, a desatenção do pedestre aspirado pela música, além da incapacidade de escutar os ruídos externos, são possivelmente as causas dos incidentes. Contudo, ouvir música, também diminui as fontes cerebrais que captam os estímulos externos, reduzindo a atenção visual a tal ponto que os indivíduos ficam cegos ao que se passa ao redor, afirmaram pesquisadores como hipótese. “Os riscos pela utilização de aparelhos por condutores já foi bem documentado”, escreveram. “Mas, sabemos pouco sobre a associação entre a utilização de fones e os acidentes com pedestres”, acrescentaram.

De acordo com um levantamento do National Highway Traffic Safety Administration, entre 4.000 e 5.000 pedestres falecem anualmente, em choque com automóveis, representando 10 a 12% do total de mortes nas rodovias dos EUA.

Leia Também:  24 de janeiro: Dia da Constituição e dia do aposentado

Top