A verdade sobre os termogênicos

Muitas pessoas fazem academia, praticam esportes ou correm em volta de lagos durante a semana mas, ao chegar no fim da meta, o resultado…

Os termogênicos não provocam dependência, já que, ao invés de agradar o cérebro, acarretam impaciência.

Muitas pessoas fazem academia, praticam esportes ou correm em volta de lagos durante a semana mas, ao chegar no fim da meta, o resultado na balança é imperceptível. Então aparecem propagandas de produtos caseiros milagrosos que prometem acelerar o metabolismo, facilitando o emagrecimento: os termogênicos. E estas pessoas se apoiam nestes produtos que, além de não terem nenhum poder milagroso, podem acarretar sérios danos à saúde.

“A amiga chega, diz que tomou comprimidos e emagreceu tantos quilos, aí a outra compra e começa a tomar. Só que a amiga malhou como louca, por isso perdeu e a outra não”, exemplificou o endocrinologista Tércio Rocha. De acordo com o especialista, essas substâncias vendem promessas que não podem exercer, como por exemplo, a eliminação de gordura localizada. “O termogênico aumenta a capacidade de desprender calorias e eleva a temperatura interna do corpo”, afirmou.

O problema começa quando, durante o uso da substância, o resultado não é alcançado. “Sem exercícios, o termogênico não ajuda em nada”, ressaltou Rocha. Isso faz a pessoa aumentar a dose, que aumenta as chances de pressão alta, taquicardia, AVC, ansiedade, insônia, falta de ar, alterações no humor, e diversos outros.

Ação no organismo

O problema começa quando, durante o uso da substância, o resultado não é alcançado.

Esses produtos elevam a temperatura do corpo e os batimentos cardíacos, o que dá mais disposição e potência para se exercitar. “A pessoa fica agitada”, explicou Rosana Radominski, presidente do departamento de obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. “A efedrina ajudaria a perder peso se ingerida em altas doses, mas aí vêm os riscos”, disse ela. Com isso a implicação desta substância é como o do placebo.

Leia Também:  Maquiagem para festa fácil de fazer: dicas

O mesmo ocorre com suplementos fundamentados de Taurina e L-Carnitina, substâncias já fabricadas pelo corpo. “Eles também não aumentam o gasto de energia e não ajudam a emagrecer”, disse Rosana.

Os termogênicos não provocam dependência, já que, ao invés de agradar o cérebro, acarretam impaciência. “A pessoa pode apenas se sentir cansada se parar de tomar”, disse ela. A especialista destacou que “não existe medicamento sem efeitos colaterais”. No caso dos termogênicos “a perda de 2kg não supera tudo o que a substância por causar no organismo”.

Emagrecimento saudável

Recomenda-se realizar uma alimentação em intervalos curtos ao longo do dia.

 Uma pesquisa conduzida pelas instituições de Harvard, Ucla e Stanford revelou que através de uma exame de saliva é plausível traçar as atividades e dieta ideais para certas pessoas. Chamado de Pathway Fit, “o exame faz uma análise do genótipo e mostra o caminho certo para melhor condicionamento físico”, disse o endocrinologista Tércio Rocha.

Segundo o estudo, esta dieta proporciona uma perda de peso 3,2 vezes maior do que a comum. Em terras brasileiras, o procedimento é conhecido como panorama genômico e é realizado nas principais clínicas do País. “O resultado fica pronto em 30 dias e a pessoa o leva para um nutricionista e um personal trainer”, completou o profissional.

Também, recomenda-se realizar uma alimentação em intervalos curtos ao longo do dia. “Quando você fica muito tempo sem comer, o corpo entra em um estágio de economia de calorias. Se a pessoa se alimenta a cada duas horas, o organismo libera mais calorias, pois sabe que logo elas serão repostas”, explicou, o personal trainer Bruno Franco.

Top