90% das brasileiras não consomem quantidade adequada de cálcio

De acordo com a Pesquisa Firme Forte Osteoporose 2012, encomendada pela Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso), 90% das brasileiras não consomem…

De acordo com a Pesquisa Firme Forte Osteoporose 2012, encomendada pela Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo (Abrasso), 90% das brasileiras não consomem quantidade adequada de cálcio, isto é, aquela recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Este déficit nutricional, que muitas vezes não recebe a devida importância, pode comprometer a expectativa de uma vida saudável.

Mulheres brasileiras apresentam falta de cálcio no organismo. (Foto:Divulgação)

Mulheres brasileiras apresentam deficiência de cálcio

O estudo contou com o incentivo do Ministério da Saúde e se baseou nas informações de 3.010 mulheres, todas com idade acima de 16 anos e moradoras de várias regiões do Brasil.

O estudo descobriu ainda que 67% das mulheres desconhecem o fato de que o cálcio contribui com a prevenção de doenças desde a infância e este método preventivo deve ser constante. A maioria (81%) acredita que a deficiência do nutriente afeta mais os idosos.

Ainda de acordo com o levantamento, nove em cada dez mulheres com mais de 16 anos não ingere a quantidade adequada de cálcio por dia. Lembrando que a OMS recomenda o consumo de 1.000 miligramas do nutriente no caso de mulheres que não passaram pela menopausa. Já público feminino que está vivendo esta fase deve aumentar a quantidade ingerida diariamente para 1.300 miligramas (que equivale três porções de leite e derivados ao dia).

Saiba mais: Cálcio e vitamina D podem melhorar expectativa de vida de idosos

Mulheres na pós-menopausa devem consumir 1.300 miligramas de cálcio por dia. (Foto:Divulgação)

Das mulheres com mais de 40 anos que foram entrevistadas, 13% afirmaram que já tinham sofrido alguma fratura óssea. Entre as participantes que apresentaram o problema, 62% delas relataram que a qualidade de vida piorou depois do ocorrido.

Leia Também:  Tendências de calçados para o verão 2013

A pesquisa mostrou ainda que a maioria das mulheres não sabe que sofre com deficiência de cálcio no organismo, o equivalente a 60%. Este desconhecimento a respeito da saúde pode contribuir com a osteoporose, uma doença silenciosa que causa a perda de massa óssea e normalmente apresenta sintomas depois da primeira fratura.

As mulheres mostraram ainda não conhecer direito a osteoporose, doença que afeta 33% da população feminina na pós-menopausa. Das entrevistadas, 96% acreditam que a doença causa necessariamente dor, o que na prática não é verdade. Por isso esperar que uma fratura aconteça para ir ao médio pode ser tarde demais.

O estudo também concluiu que as mulheres brasileiras não levam tão a sério a saúde dos ossos. Apenas 39% da população feminina com mais de 45 anos já se submeteu ao exame capaz de diagnosticar osteoporose, isto é, a densitometria óssea.

Alimentos ricos em cálcio

Para aumentar a quantidade de cálcio no organismo, é necessário mudar a alimentação. (Foto:Divulgação)

Além de combater as doenças ósseas, o cálcio também contribui com reações orgânicas associadas à coagulação do sangue, frequência cardíaca, transmissão nervosa e contração muscular.

Veja a seguir os alimentos que são ricos em cálcio e invista em mudanças na sua dieta:

– Leite e derivados (queijo, requeijão e iogurte);

– Algumas hortaliças (couve, repolho, brócolis, cebolinha, espinafre, alho-francês e acelga);

– Laranja;

– Leite de soja;

– Semente de gergelim;

– Grão-de-bico;

– Semente de linhaça;

– Feijão;

– Carne de caranguejo;

– Amêndoas;

Veja também: Cálcio em excesso: perigos

Top