4 de abril: Dia Nacional do Parkinsoniano

No dia 4 de abril comemora-se o Dia Nacional do Parkinsoniano, ou seja, pessoas que sofrem com o Mal de Parkinson. A data representa…

Por Isabella Moretti em 03/04/2012

Cerca de 4 milhões de pessoas sofrem com o Mal de Parkinson no mundo.

No dia 4 de abril comemora-se o Dia Nacional do Parkinsoniano, ou seja, pessoas que sofrem com o Mal de Parkinson. A data representa uma ótima oportunidade para debates sobre a doença neurológica, que desencadeia vários sintomas capazes de prejudicar a vida do indivíduo.

De acordo com estimativas da OMS (Organização Mundial da Saúde), existem aproximadamente 4 milhões de pessoas que sofrem com o Mal de Parkinson no mundo. Desta forma, vale aproveitar o Dia Nacional do Parkinsoniano para conhecer melhor a respeito da doença, ou seja, as principais causas, sintomas, formas de diagnóstico e tratamento.

Devido a expectativa de vida e envelhecimento da população, estima-se que o número de parkinsoniano dobre até 2040.

O Papa João Paulo II sofria de Mal de Parkinson.

Sobre o Mal de Parkinson

O Mal de Parkinson é uma doença que afeta o sistema nervoso central e se desenvolve com mais frequência em pessoas com idade superior a 50 anos. Seus sintomas são progressivos e capazes de comprometer os membros do corpo.

Considerada uma doença degenerativa, o Parkinson se desenvolve por causa da perda de neurônios numa parte do cérebro, responsáveis por produzir o neurotransmissor dopamina. Com esta deficiência, o portador do mal apresenta dificuldades para controlar os movimentos e, futuramente, desenvolve outros problemas com maior gravidade.

Os primeiros sinais do Mal de Parkinson são os tremores involuntários, depois o portador da doença pode sofrer com desequilíbrio, instabilidade postural e rigidez muscular. Ele passa a apresentar dificuldades para realizar atividades simples, como caminhar ou sentar-se.

O parkinsoniano tem dificuldades para controlar os seus movimentos.

Os movimentos voluntários se tornam mais lentos por causa do Parkinson, o que prejudica a capacidade de escrever, tocar um instrumento musical, pintar, cozinhar, entre outras tarefas que exigem habilidade. No auge do seu desenvolvimento, a doença pode apresentar um quadro semelhante ao Alzheimer.

Quando o diagnóstico do Mal de Parkinson é feito na fase inicial, o tratamento tem resultados mais eficazes. Por isso, logo que aparecerem os primeiros sintomas da doença, é necessário procurar um neurologista para fazer exames e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Para tratar o Mal de Parkinson e controlar os sintomas, os médicos receitam medicamentos apropriados da classe dos anticolinérgicos. Em alguns casos é necessária a interferência de um psiquiatra e de um fonoaudiólogo para ajudar no tratamento.

Top