Tecnologia

WhatsAppnite: o que é, saiba mais

Por Andre

Usar o WhatsApp, aplicativo de mensagens instantâneas que é uma verdadeira febre em todo o mundo, tornou-se um grande vício para você, a ponto de não conseguir ficar um dia sequer sem abrir o programa? Cuidado, você pode ser a próxima vítima da “WhatsAppnite”.

O WhatsApp tem mais de 450 milhões de usuários em todo o mundo (Foto: Divulgação)

O termo foi criado por uma médica espanhola para descrever o mal que acometia uma mulher de 34 anos, que foi ao hospital no qual ela trabalha, na noite de natal de 2013, reclamando de fortes dores nos dedos e nos pulsos, conforme o caso relatado recentemente pelo jornal “The Lancet”.

Durante o exame que estava sendo feito pela médica, a paciente contou a ela que havia passado seis horas seguidas respondendo às mensagens de Boas Festas recebidas de amigos, parentes e conhecidos, enviadas por meio do aplicativo que hoje pertence ao Facebook.

O diagnóstico

O uso prolongado do aplicativo pode causar a doença conhecida como WhatsAppnite (Foto: Divulgação)

O relato da paciente, sobre o uso do app de mensagens instantâneas, foi fundamental para que a médica Inés-Fernando Guerrero chegasse à conclusão de que as lesões nos polegares e nos pulsos haviam sido causadas pelo uso excessivo e constante do WhatsApp.

O diagnóstico: a paciente estava com “WhatsAppnite” (o sufixo “ite” indica inflamação), termo usado para designar as dores surgidas a partir da inflamação dos tendões dos dedos e das mãos, causada pelo movimento contínuo e repetitivo dos polegares, na hora de digitar as mensagens.

Para tratar a “doença do WhatsApp”, como também ficou conhecida a inflamação, foi recomendada a abstinência total do celular à paciente e o uso de anti-inflamatórios. Mas fica a pergunta: será que a moça seguiu as recomendações, principalmente deixar de usar o aplicativo, pelo menos por alguns dias?

Dicas para evitar a WhatsAppnite

A doença consiste em fortes dores nos dedos e nos pulsos, surgidas pela digitação contínua de mensagens no app (Foto: Divulgação)

Para não se tornar mais uma pessoa diagnosticada com a WhatsAppnite, a melhor dica é usar o WhatsApp moderadamente, evitando a digitação de textos longos. Procure também utilizar mais o recurso de enviar mensagens de áudio oferecido pelo app, para dar um descanso às suas mãos.

Nesse sentido, o novo recurso do WhatsApp, de chamadas de voz, que será lançado em breve, permitindo que os usuários do aplicativo façam ligações entre si sem pagar nada, também poderá ajudar no combate à doença.

E se você usa muito o programa e já sentiu fortes dores nas mãos, não deixe de procurar o médico.

Recomendado para você

Tecnologia

Como criar outra conta de Hotmail

Tecnologia

QR CODE: O que é, como funciona

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *