Menu

Saúde

Atualizado em 21 de maio de 2011, às 11:50 por Emanuelle
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Sintomas de anemia profunda

sintomas anemia Sintomas de anemia profunda

Em tempos onde a boa alimentação é tão valorizada, muita gente ainda sofre de um mal que esse hábito provavelmente poderia ajudar a resolver. Seja lá em qual época da vida em que você esteja, a anemia poderá ser ainda muito mencionada. É que a anemia é um dos problemas de saúde mais comuns do planeta. A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que cerca de 1/3 da população mundial sofra com esse problema. Mulheres e crianças são os mais afetados. Gestantes, mulheres que estão amamentando, adolescentes e adultas são os grupos mais recorrentes, e isso é explicado pela perda de sangue durante a mestruação. Já entre as crianças, a anemia atinge especialmente as que são menores de dois anos.

Esse mal é caracterizado pela deficiência no tamanho ou no número de glóbulos vermelhos presentes no nosso sangue ou na quantidade de pigmento (hemoglobina) que ela contém. Seja lá qual for a sua causa – carência e nutrientes na alimentação, doenças na medula óssea ou anomalias genéticas – a anemia afeta as trocas de oxigênio e gás carbônico entre o sangue e outras células do nosso corpo e como resultado o nosso organismo acaba sofrendo consequências bastante incômodas para a nossa rotina dependendo do grau com o qual se manifesta. Se uma anemia leve já pode trazer incômodos, imagine quando se trata de uma anemia profunda?

Principais sintomas da anemia profunda

Os sintomas que podem indicar uma anemia profunda são cansaço, falta de memória, tonturas, fraquezas, baixo desempenho na prática de atividades físicas, irritabilidade, perda de apetite, palidez na parte interna dos olhos e lábios, dores musculares, falta de ar ou respiração muito curta e taquicardia. A baixa produção de hemoglobina faz com que o coração precise bater acelerado para mandar a mesma quantidade necessária de oxigênio para todas as células. Como você pôde perceber, são sintomas que não podem nem devem ser ignorados.

Tudo bem que sejam sintomas visíveis, mas isso não basta para fazer um diagnóstico, portanto nada de automedicação. Esses sintomas também podem ser típicos de outras doenças portanto apenas um médico está apto a falar sobre o assunto.

fraquza Sintomas de anemia profunda

Nada de tomar remédios por conta própria porque o tratamento pode ser diferenciado de acordo com as causas e o grau da anemia. O máximo que poderá fazer sozinho, mas ainda assim algo que não lhe desobriga da consulta médica é promover uma mudança em sua alimentação. Na maioria esmagadora dos casos, cerca de 90% deles, a causa é a falta de ferro em nossa dieta, sendo que a ingestão de certos alimentos pode ajudar no tratamento. Veja algumas dicas:

alimentos anemia Sintomas de anemia profunda

As melhores fontes de ferro estão presentes em alimentos de origem animal: carne vermelha, frango e peixe. Isso porque tem em sua composição o tipo heme, descrita pelos médicos como sendo mais facilmente aproveitado pelo organismo. No caso da carne bovina, esse consumo deve ser feito com moderação devido aos teores de gordura.

As saladas também são importantes aliados, então não deve ser excluída da alimentação. Verduras com folhas verde-escuro, como espinafre, agrião e rúcula, e legumes como feijão, grão-de-bico e soja devem fazer parte da dieta.

Não se esqueça de ingerir alimentos com vitamina A, pois ela contribui para a absorção do ferro: frutas e legumes amarelos, como abóbora, mamão e manga além de estar presente no leite e seus derivados.

O papel da vitamina B12 contra a anemia é tão importante quanto o do ferro. Portanto ingerir carne, peixe, ovo, aveia, leite e derivados dá uma ajuda e tanto para o seu organismo.

Alimentos com ácido fólico também são úteis por contribuir com a fabricação das hemácias: então nesse caso o espinafre, couve, brócolis, tomate e caju podem ajudar.

    A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.