Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Rins policísticos: sintomas e tratamento

Rins policísticos: sintomas e tratamento

Muitas pessoas ouvem falar sobre o assunto, mas não sabem exatamente a real definição de rins policísticos. Confira algumas informações a respeito dessa patologia que acomete um pequeno número da população e esclareças as dúvidas sobre esse tema.

O sintoma de rim policístico pode ser confundido com pedra nos rins

Compreenda a doença renal policística

A doença policística renal ocorre devido a substituição do tecido normal do rim, por alguns cistos cheios de líquido. Infelizmente, o crescimento desenfreado desses cistos, acaba resultando em dano renal. Através disso, como consequência, temos o acúmulo de toxinas no organismo, iniciando um ciclo de agressões ao corpo.

Vale ressaltar que esses cistos podem acometer outros órgãos que não apenas os rins, sendo os locais mais comuns o fígado, pâncreas e o intestino.

Conheça as classificações da doença

De maneira geral, existem duas formas principais da doença. A mais comum se caracteriza por ser uma patologia hereditária, afetando os filhos de portadores do problema. Em contrapartida, a forma adulta costuma aparecer entre os 30 e 50 anos de idade e não é herdada.

Vale ressaltar que, independente da forma que o indivíduo apresentar os sintomas, as manifestações clínicas serão sempre as mesmas, tornando o diagnóstico mais fácil de ser realizado.

Quadro clínico da doença policística renal

De maneira geral, o indivíduo portador da doença pode apresentar um quadro clínico com:

  • Dor nas costas;
  • Ardência para urinar;
  • Sangue na urina;
  • Aumento da pressão arterial.
Uma das complicações dessa doença é a hipertensão

Em caso de crianças prematuras, o diagnóstico, geralmente é realizado devido a presença de massas palpáveis em ambos os lados. Em adultos, um diferencial diagnóstico deve ser feito quando as manifestações surgem precocemente, pois as queixas são muito semelhantes ao quadro de litíase renal (pedra nos rins), um problema bastante frequente e que afeta grande parte da população.

Para esclarecer algumas dúvidas sobre o assunto, confira os principais sintomas de pedras nos rins e também conheça suas causas e tratamento.

Diagnosticando a doença

Após a realização de uma história clínica e um exame físico adequado. O médico poderá recorrer a alguns exames complementares.

Os exames radiológicos (raio-x) são pouco sensíveis, por isso são menos utilizados. Para detectar os cistos, a ultrassonografia é muito mais sensível que exames radiográficos, entretanto, diante de um ultrassom normal, não é possível excluir a hipótese diagnóstica, pois não é incomum a ocorrência de um falso negativo. Por isso o melhor exame para fechar o diagnóstico da doença é a tomografia computadorizada com contraste.

Como é realizado o tratamento dos rins policísticos?

Até o momento, não existe um tratamento específico para a doença, porém, é importante que os portadores desse problema façam visitas regulares ao médico, para prevenir complicações que podem ir desde um simples aumento da pressão arterial, até insuficiência renal.

A diferença entre as superfícies renais é evidente

A doença dos rins policísticos é muito grave, por isso merece um acompanhamento médico adequado, visando a prevenção de possíveis complicações. Atitudes simples, como visitas frequentes ao médico para esclarecimento de dúvidas e consultas de rotina, podem auxiliar no diagnóstico precoce e tratamento não apenas dessa doença, como de muitas outras e está super indicado para garantir saúde e qualidade de vida.

Veja também: clique aqui e confira dicas para se prevenir de doenças crônicas renais.

Recomendado para você
Bem Estar

Curso de Massoterapia RJ Preços, Escolas Técnicas

Bem Estar

Tintas para gesso, como escolher

Bem Estar

Emagrecer com erva-mate

Bem Estar

Site Parque da Xuxa- SP Telefone, Preços

Comentários
  1. alex sander alvares disse:

    meu filho tem o rins policisto,foi descoberto quando ele tinha 2 anos de idade o medico falou k os cistos dele era morto .hoje ele tem 13 anos e vive como uma criança normal .tenho que tomar alguns cuidados com alimentação ou ele pode comer de tudo.obrigado pela informação

  2. MTJac disse:

    Olá Alex,

    Só um médico para indicar o que seu filho pode ou não consumir.

    Att,

  3. Marilane disse:

    Mensagemna minha família já houve falência por motivo dessa doença,minha mãe depende da hemodiálise para o funcionamento renal,eu tenho tô tendo acompanhamento médico e vou realizar a tomografia computadorizada na próxima quinta.minha irmã de 13 anos já tem essa doença renal.

  4. Rose disse:

    Olá, minha filha de 1 ano tem policistos nos rins, gostaria de saber se os cistos podem diminuir a medida q ela for crescendo e se o transplante é a unica saida. Obrigada

  5. Leandro disse:

    Boa noite! A doença pode impedir o ingresso em um concurso público?
    Obrigado!

  6. Dalva disse:

    Olá, bom dia.
    Tenho hidronefrose e rins policísticos, gostaria de saber, além do acompanhamento médico, quais os cuidados que devo ter em relação a alimentação? Segundo os médios que diagnosticaram a doença disseram-me que não há tratamento é verdade?

  7. tatiane vidal disse:

    oi meu nome é tatiane na minha gravides descobri q minha bb estava com cistos no rim…..
    depois q ela nasceu descobri q era rim policistico
    gostaria de saber se devo me preocupar com isso e se tem riscos

  8. vanusa correia barros de souza disse:

    minha filha tem rins policisticos bilateral, gostaria de saber o que deve ser feito para evitar a quantidade de produçao de cistos nos rins. e como saber se o rin esta filtrando bem?

  9. Abgail verônica Soad disse:

    olá,estou gravida e na minha ultrassom diagnosticou que meu filho tem o rim policístico.
    o medico disse pra eu não se preocupar,mas ñ tem como né?
    queria saber se no futuro ele vai sofrer por isso se é grave oque preciso fazer?

  10. Dr. Oseas Moreira disse:

    Apos 45 anos de exercicio da Medicina, a unica esperança que conheço para os portadores de cistos renais são as Terapias Complementares, representados pela Acupuntura e a Homeopatia. Aconselho iniciarem os tratamentos o mais precocemente possivel. São tratamentos que funcionam realmente (tenho 25 anos de pratica homeopática), não têm efeitos colaterais, são economicamente viáveis, etc. A unica restriçao que faço é quanto a seriedade do profissional que voce deve escolher: existem muitos charlatães e oportunistas no ramo! No mais, lembre-se: voce tem pouquissimas chances com a Medicina Alopática Convencional.
    Boa Sorte
    Oséas Moreira Lisboa

  11. Valmir Cavalcante Lins disse:

    Tenho rins policístcos e tomei conhecimento que existe um medicamento que vende nas farmarcias nos estados unidos e na europa desde 1989 e aqui no brasil ainda não vende esse medicamento. o nome dele é SAMISCA TOLVIPTAN. TEM ALGUMAS EMPRESAS AQUI NO BRASIL, QUE IMPORTA MAS PROCUREI SABER E O CUSTO É ALTÍSSIMO, QUE CHEGA Á CURTAR R$ 12.500,00 JÁ LÁ NO EXTERIOR NÃO CUSTA MAIS QUE $ 160,00 A CAIXA. MAS PARA COMPRAR ESSE MEDICAMENTO É PRECISO IR LÁ FAZER UMA CONSULTA NO MÉDICO PARA DAI ENTÃO CONSEGUIR A RECEIT

  12. elizeane disse:

    Boa tarde a minha filha está gravida de 5 meses e o bebê está com o rins grande, o medico falou que ele não tem chaces de sobre viver, gostaria de saber se tem outros casos como esse e se o bebê estão vivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *