Menu

Brasil

Atualizado em 3 de novembro de 2008, às 14:21 por Redacao
Você está em: MundoDasTribos > Quando Dizer Não – Como Impor Limites aos Filhos

imporlimitesaosfilhos Quando Dizer Não – Como Impor Limites aos Filhos

Muitos pais não sabem a hora de dizer não a seus filhos. Essa pode ser uma tarefa muito difícil na educação das crianças, porém quando os limites não são impostos os filhos podem ter dificuldades para aceitar um não.

Segundo a professora do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), Leila Salomão Tardivo, não há uma regra geral para a liberdade das crianças. “Cada família deve levar em conta seus costumes e a confiança que tem em seu filho para saber a hora certa de atender ou não a um pedido”, diz.

Porém, ela diz que essa confiança precisa ser construída: “A família e a escola têm um papel fundamental na hora de ensinar alguns valores às crianças, sobre o que é realmente importante. Pais sempre por perto, que mostrem com exemplos e atitudes o que é certo permitem a construção de um comportamento mais maduro”.

A psicóloga Patrícia Spada, doutora e pesquisadora da Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), fala que os filhos fazem alguns pedidos descabidos aos pais para testá-los. “Crianças, literalmente, pedem limites, pois por meio destes sentem-se amados, considerados, vistos e reconhecidos. Uma das maneiras que encontram para pedir limites é testando os pais”, afirma.

A professora Leila ainda diz que crianças em idade escolar passam a ter uma autonomia natural. Por isso, nesse momento os pais devem procurar entender o processo de crescimento dos filhos. Ela afirma: “É preciso que o pai deixe o filho um pouco livre para que ele aprenda a se defender. É claro que é importante estar por perto e fazer-se presente e preocupado, mas os pais têm que acompanhar a pauta de crescimento dos filhos para que ele não fique infantilizado”.

Leila diz que é fundamental equilibrar os desejos dos filhos com aquilo que se pode permitir. Por exemplo: “Não se pode deixar uma criança escolher se quer ou não estudar, ou se quer ou não fazer a lição de casa, mas ela pode escolher o esporte que vai praticar. Por isso, volto a chamar a atenção para a necessidade de acompanhar o crescimento dos filhos de perto e fazê-los entender que cada escolha tem uma hora certa”.

A psicóloga Patrícia tem a seguinte opinião, uma das formas mais benéficas de dosar essa liberdade é atender os pedidos da criança conforme ela for mostrando que é responsável e sabe se colocar bem nas situações. “Assim, ela mesma vai se sentindo mais capacitada a enfrentar as dificuldades e criar soluções próprias para seus problemas”, explica.

Patrícia ainda fala que os conflitos sobre a educação dos filhos vêm antes do nascimento, quando o bebê, tão desejado, vem ao mundo com seu jeito próprio e completamente singular de ser.

Quando a criança pede para dormir na casa do colega é preciso verificar de perto o que acontece no mundo da criança. Quem são seus colegas, seus pais, que tipo de criação esses colegas recebem, pois isso deve estar de acordo com a criação dada a seu filho. Se a reposta for positiva, então tudo bem. É o momento ideal para que ele comece a pôr em prática a socialização fora do ambiente do lar.

Porém, Patrícia ainda afirma que nem sempre esse processo é tão simples. “Os filhos têm um ‘radar’ muito poderoso capaz de captar as emoções de seus pais. Por isso, não adianta falar, e sim, dar o exemplo. É importante que os pais estejam realmente seguros de que podem deixar o filho dormir fora de casa, e essa confiança se estabelece com o tempo, em um trabalho conjunto entre pais e filhos”, explica.

Com essas dicas ficará mais fácil impor limites aos filhos.