Menu

Saúde

Atualizado em 14 de outubro de 2011, às 11:50 por Analu
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Principais doenças que afetam a saúde dos olhos

As doenças dos olhos afetam grande parte da população. Conheça-as e saiba como preveni-las.

290995 Olho Principais doenças que afetam a saúde dos olhos

O que são doenças oftalmológicas?

As doenças que afetam a visão são chamadas doenças oftalmológicas. Podem provocar a diminuição da capacidade visual como a miopia, hipermetropia, presbiopia e astigmatismo.  Ou, podem também, levar a perda completa da visão como no caso do glaucoma, da catarata, do diabetes ocular e das doenças maculares.

Conheça algumas doenças oftalmológicas:

Miopia: Esse problema visual consiste na dificuldade de visão ao enxergar algo que está longe. Isso se  ao fato da imagem se focar a frente da retina. Os olhos das pessoas que possuem miopia são normalmente maiores que o normal e mais propensos a algumas doenças como glaucoma, descolamento de retina etc.

Hipermetropia: Uma pessoa com esse problema tem dificuldade de enxergar de perto. Pode causar dores de cabeça e espasmos oculares devido ao esforço necessário para a leitura. Um olho hipermetrope pode ser menor do que o normal.

Astigmatismo: Corresponde a uma qualidade visual desigual. É o resultado de uma curvatura desigual da córnea, provocando uma visão distorcida.

Presbiopia: Conhecido também como “vista cansada” é um problema que afeta pessoas normalmente acima de 45 anos. Refere-se à dificuldade para enxergar de perto devido a perda da elasticidade do cristalino.

Ambliopia: Também chamado de “olho preguiçoso”, é um termo oftalmológico para baixa visão que não é corrigida com óculos. A causa do problema não está especificamente no olho, mas sim na região cerebral que corresponde à visão e que não foi devidamente estimulada no momento certo.

Catarata: É um processo de opacificação do cristalino. Tem tratamento, mas, mesmo assim essa doença é responsável pela maior parcela de cegueira no mundo.

Ceratocone: É o afinamento da porção central da córnea que leva a diminuição da acuidade visual. Esse problema pode ser de vários graus, de leve até severo.

Conjuntivite: É a inflamação da conjuntiva, uma membrana extremamente fina e transparente que reveste a parte da frente do globo ocular e o interior das pálpebras. Nessa região é produzido muco para lubrificar o olho. Vários agentes como bactérias e vírus, além de alergias podem causar inflamação dessa membrana.

Degeneração macular: É um problema causado num ponto no centro da retina, região responsável pela visão central. Não acarreta cegueira completa, mas leva a uma grande dificuldade para enxergar de perto.

290995 olho 2 Principais doenças que afetam a saúde dos olhos

Descolamento da retina: É um problema causado pelo processo de envelhecimento natural dos olhos, mas pode ser causado também por traumas ou outros problemas oculares. A retina é uma membrana delicada, responsável por captar e levar a imagem ao cérebro. Quando essa membrana sofre deslocamento, a pessoa tem a sensação de enxergar moscas voando ou, ainda, observa uma sombra no campo visual.

Glaucoma: É o aumento da pressão ocular mantido por muito tempo, levando a uma degeneração do nervo óptico. Essa doença está entre as principais causas de cegueira irreversível no mundo.

Retinoblastoma: É um tipo de câncer hereditário que se origina na retina. A maioria dos casos é unilateral e aparece até os três primeiros anos de vida da criança.

Retinopatia diabética: Ocorre em pessoas portadoras do diabetes e que não tratam a doença corretamente. Devido à doença, ocorre rompimento de vasos sanguíneos causando hemorragia e infiltração de gordura no interior do olho.

A maior parte dos problemas visuais, tanto nas crianças como nos adultos, podem ser prevenidos através de um diagnóstico precoce. Por isso é importante frequentar um médico oftalmologista, regularmente.

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.