Menu

Notícias

Atualizado em 30 de julho de 2012, às 8:35 por Carol Vergel ()
Você está em: MundoDasTribos > Parto cesárea: procedimento, riscos

Antes de tomar qualquer decisão com relação ao parto do seu filho, tire todas as dúvidas juntamente com o seu médico.
494573 Parto cesárea procedimento riscos 03 Parto cesárea: procedimento, riscosConverse com o seu médico e decida qual melhor procedimento a ser adotado em seu parto (Foto: Divulgação)

Geralmente, as mulheres decidem por dar a luz através da cesárea por medo de sentir dor, do bebê se enforcar com o cordão umbilical, ou até por temer possíveis danos à vagina quando o parto é normal. Esse método também pode ser uma indicação médica, se julgar que é melhor para a mãe e para a criança. Porém, muitas mulheres pedem para trazer o seu filho ao mundo através de um corte rente ao pé da barriga, acompanhado claro por uma bela anestesia.

Confira também: Exercícios para Mulheres Grávidas

No Brasil, 52% dos partos são realizados por meio de cesariana se levado em consideração os nascimentos efetuados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Já na rede particular o porcentual chega a 82%. A taxa de antecipação de nascimentos para que esse procedimento aconteça é de até 15% do total de partos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o parto normal, salvo alguns casos extremos, como quando o parto é de gêmeos, e por isso, chegou a emitir um alerta para as autoridades brasileiras prevenirem esse excesso de cesáreas no país.

 

494573 Parto cesáreaprocedimento riscos 01 Parto cesárea: procedimento, riscosA cesárea pode representar alguns riscos para a saúde do bebê (Foto: Divulgação)

Parto cesárea: riscos

Acredita-se que a cesárea é mais prática, pois pode ser agendada pelo médico antes mesmo da mãe começar a ter as dores naturais do parto. Além disso, o procedimento evoluiu muito desde que foi desenvolvido, e atualmente as mulheres têm acesso a técnicas seguras de antissepsia e anestesia. Os antibióticos auxiliam no combate a possíveis infecções e as transfusões de sangue podem assegurar a vida da mãe, caso algum imprevisto aconteça e desencadeie uma perca de sangue elevada. Mas, assim como o parto normal, a cesárea possui riscos para o pequenino que chega ao mundo.

Problemas respiratórios

Os cientistas, da Universidade de Aarhus, analisaram informações obtidas de 34 mil partos e concluíram que as mães que optaram pela cesariana em vez do parto normal aumentaram em até quatro vezes o risco de seus filhos desenvolver problemas no pulmão. No estudo publicado em 2007, os pesquisadores explicam que durante o parto normal, o bebê passa por transformações hormonais e fisiológicas que contribuem para o “amadurecimento do pulmão”, por isso, se a cesárea acontecer de modo emergencial, por conta de complicações do parto normal, a criança pode ter pulmões mais saudáveis. O estudo foi publicado no British Medical Journal em 2007.

494573 Parto cesáreaprocedimento riscos02 Parto cesárea: procedimento, riscosFazendo a cesariana a mulher pode evitar as dores do parto (Foto: Divulgação)

Saiba mais sobre: Alimentação para Mulheres Grávidas

Problemas intestinais

Bebês nascidos por cesariana tem o dobro de chances de apresentar obesidade na infância, se comparados aos que vêm ao mundo por meio do parto normal. A constatação foi divulgada em um levantamento publicado na revista científica Archives of Disease in Childhood. O estudo contou com 1.255 crianças, que foram analisadas.

O problema intestinal pode ser recorrente a falta de uma bactéria que o bebê contrai ao nascer de parto natural, que é “transmitida” pela mãe, e ajuda a melhorar o funcionamento do intestino. Quem nasce de cesárea acaba tendo menos bactérias benéficas no organismo e mais micro-organismos que prejudicam a regulação da absorção do açúcar.

Antes de optar pela cesárea o ideal é ter uma conversa franca com o seu médico e verificar os benéficos e malefícios desse procedimento. Para quem vai pagar para dar a luz dessa forma, saiba que o aparato para a cesariana é maior e por esse motivo o procedimento é mais caro. Com relação aos principais medos femininos, é necessário esclarecer que o enforcamento com o cordão umbilical em partos normais podem ser evitados, além disso, a vagina nem sempre é danificada após o nascimento do bebê por essa via.

Conteúdo avaliado com média: