Menu
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Morte cerebral: o que é, como acontece

A morte cerebral é um assunto polêmico. Conheça mais sobre esse fato tão comum, mas pouco compreendido pela população.

Muito se fala sobre a morte cerebral, porém, poucas pessoas possuem o real conhecimento sobre o assunto. No intuito de informar, separamos algumas informações sobre o que é e como acontece a morte cerebral. Confira.

A morte encefálica é um tema polêmico. (Foto: divulgação)

Conheça as causas e as consequências do AVC

Definição de morte cerebral

A morte cerebral, ou morte encefálica, é definida como a perda irreversível das funções neurológicas do cérebro e do tronco cerebral. Em geral, a morte cerebral acontece após o cérebro ser submetido à:

  • Dor;
  • Falta de oxigênio;
  • Falta de glicose.

O cérebro é o “ maestro” do corpo humano, no entanto, ele não sobrevive a qualquer dor diretamente a ele relacionada. Assim como também não responde de forma adequada à falta, ou diminuição, do fluxo sanguíneo e, posterior, restrição de oxigênio e glicose. Caso isso ocorra, ele entra em sofrimento ou falência total.

Diferença entre morte cerebral e coma

Muitas pessoas confundem o significado de morte cerebral e coma. Este último está relacionado a perda da consciência, porém as funções cerebrais continuam ativas e funcionantes. No caso de morte cerebral, o cérebro perde as funções neurológicas de maneira definitiva.

Saiba quanto tempo o cérebro leva para morrer

O cérebro é muito sensível, no entanto, possui papel essencial na manutenção da vida de um indivíduo. Apesar de muito delicado, ele ainda consegue sobreviver por até seis minutos após a parada do coração. Isso porque, acima desse período, passa a ocorrer diminuição de suprimento de oxigênio e glicose, fazendo com que ele morra aos poucos.

O derrame pode levar a morte cerebral. (Foto: divulgação)

Motivos que podem levar a uma morte cerebral

A morte cerebral pode ocorrer pro diversos motivos, entre eles podemos citar:

  • Traumas na cabeça;
  • Falta de oxigenação adequada;
  • Derrames;
  • Tumores;
  • Overdose;
  • Falta de glicose.

A maioria das situações anteriormente citadas manifestam-se como sangramento no interior do cérebro, ocasionando inchaço cerebral, o que resulta em uma diminuição súbita das atividades nervosas. Além disso, colabora com o aumento da pressão intracraniana, o que piora ainda mais a situação de sofrimento do órgão.

Como se confirma a morte cerebral?

Para que a morte cerebral seja confirmada, é preciso que ocorra uma avaliação das respostas do indivíduo em relação a:

  • Diversos comandos;
  • Reflexo;
  • Movimentação dos olhos em direção contrária à da cabeça;
  • Movimentação do organismo;
  • Resposta da pupila sob a luz;
  • Respostas a estímulos feitos na sobrancelha;
  • Resposta a estímulos feitos através do ouvido;
  • Estímulos que induzem o indivíduo a engasgar;
  • Teste de respiração espontânea.

Após a avaliação de todos as respostas em relação a reação neurológica, é possível confirmar a presença ou ausência das funções cerebrais. No caso de não resposta, o médico detectará morte cerebral.

Para comprovar morte cerebral, o médico deve avaliar várias funções neurológicas. (Foto: divulgação)

A morte cerebral é um assunto polêmico, porém poucas pessoas reconhecem seu real significado. Conhecendo um pouco melhor sobre o assunto, é mais fácil entender o que ocorre no organismo diante da falência cerebral.


Recomendados para você:

RECEBA OS ARTIGOS VIA EMAIL