Tecnologia

Mercado de aplicativos fatura alto e divulga venda de programas

2014, a companhia prevê que serão baixados 185 bilhões de aplicativos.

Em abril deste ano, uma companhia instituída por menos de vinte empregados foi contrada pelo Facebook por US$ 1 bilhão. O instagran, um programa móvel que sobrepõe efeitos em imagens clicadas no smartphone, só passou a existir devido ao início de uma programa apresentado em 2008 que permitia que os usuários baixassem em um só local programas ou conteúdos. Chamada de App Store, a loja de aplicativos desenvolvida pela Apple fez novos milionários e ainda auxiliou a popularizar na comercialização de software.

“O esquema da Apple de micropagamentos foi inovador para a época. As pessoas não tinham o hábito de comprar software e elas passaram a oferecer programas custando menos de US$10”, disse Pedro Paulo, diretor de operações da Netfilter (desenvolvedora brasileira de aplicativos).

Leia mais: iPhone chega a 250 milhões de unidades vendidas

O mercado de aplicativos é visto com grande otimismo. De acordo com a consultoria Gartner, esse mercado movimentou aproximadamente US$ 15 bilhões no ano passado. E a tendência é crescer ainda mais. Até 2014, a companhia prevê que serão baixados 185 bilhões de aplicativos.

O mercado de aplicativos movimentou aproximadamente US$ 15 bilhões no ano passado

Era frequente antes da loja que desenvolvedores comercializassem programas em seus próprios sites que custavam cerca de US$ 10 e US$ 20. Todavia, a lógica da App Store fez com que os programas cobrassem menos em troca de dividir os lucros e de ter seu aplicativo exposto para os 365 milhões de dispositivos móveis com o iOS, sistema móvel da massa. O desenvolvedor perde o valor, porém ganha em volume.

“Como a própria Apple cuida da divulgação e hospedagem, não havia mais necessidade de cobrar US$ 15 por um programa, sendo que tudo é feito pela internet”, afirmou Breno Masi, sócio fundador da Fingertips (desenvolvedora nacional de aplicativos).

Confira também: Nova bateria poderá ser recarregada em dois minutos e meio

“Acho que as prateleiras com programas comuns em lojas vão sumir no próximo ano, pois não há justificativa em gastar dinheiro com uma caixa e logística, sendo que tudo pode ser feito pela internet.”

Para exemplificar a tese, especialista menciona a própria Apple que cobra aproximadamente US$ 20 por uma versão do sistema operacional Mac para computadores. Depois da App Store, outras lojas foram instituídas como o Google Play (antigo Android Market) para o sistema Android e o Market Place para o Windows Phone.

Recomendado para você
Tecnologia

Simulador de Corte de Cabelo

Tecnologia

Planos UOL Wi-Fi, Preços, Como Funciona

Tecnologia

Como criar um QR Code

Tecnologia

Facebook login, como entrar no facebook.com.br

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *