Menu

Saúde

Atualizado em 31 de março de 2013, às 10:00 por Analu
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Intolerância ao glúten na infância

A intolerância ao glúten é um problema relativamente comum e pode se manifestar ainda na infância. Esclareça algumas dúvidas sobre o assunto.

A intolerância ao glúten, também conhecia como doença celíaca, é um problema que afeta 1 em cada 680 nascidos vivos no Brasil e resulta na atrofia total ou subtotal de toda mucosa da região proximal do intestino delgado. Essa doença não é contagiosa e todos os portadores são predispostos geneticamente. Saiba mais sobre o assunto e esclareça algumas dúvidas sobre a intolerância ao glúten na infância.

Confira os principais sintomas de doença celíaca.

601476 O tratamento para doença celíaca consiste na eliminação do glúten da dieta. 1 Intolerância ao glúten na infânciaO tratamento para doença celíaca consiste na eliminação do glúten da dieta. (Foto: divulgação)

Origem do problema

O desenvolvimento da doença celíaca se dá a partir  da interação entre fatores genéticos e imunológicos. Quando o portador da doença consome produtos que possuem glúten, desencadeiam o quadro clínico. De acordo com estudos sobre o assunto, a ocorrência da doença está intimamente ligada aos antígenos de histocompatibilidade (HLA) de classe II, HLA-DR3 e HLA-DQ2, correspondendo a 95% de todos os pacientes portadores do problema.

Apesar dos diversos estudos sobre o assunto, os pesquisadores ainda não conseguiram determinar exatamente de que forma o glúten exerce um mecanismo nocivo ao organismo. Pesquisas para conseguir desvendar esse mistério continuam em andamento em diversos países.

Sinais e sintomas

Quando a doença celíaca se desenvolve na infância, ela pode apresentar três quadros clínicos diferentes:

  • Apresentação clássica

Os sinais surgem ainda nos primeiros anos de vida, caracterizando-se por diarreia crônica, vômitos, irritabilidade, hiporexia, déficit de crescimento, distensão abdominal, atrofia muscular (especialmente da região glútea) e diminuição do panículo adiposo.

601476 A manifestação clássica cursa com distenção abdominal diarreia e vômito. Intolerância ao glúten na infânciaA manifestação clássica cursa com distenção abdominal, diarreia e vômito. (Foto: divulgação)
  • Apresentação não clássica

Normalmente a doença com esse tipo de evolução tende a se apresentar mais tardiamente, podendo cursar com pouca sintomatologia. As manifestações digestivas podem estar ausentes e, quando ocorrem, não costumam ser muito significativas. Alguns dos sintomas são artralgias ou artrites, constipação intestinal, hipoplasia do esmalte dentário, osteoporose e esterilidade.

  • Assintomática

A forma assintomática costuma afetar parentes de primeiro grau de portadores da doença, mas não cursa com complicações significativas.

Tratamento para a intolerância ao glúten

O tratamento para a intolerância ao glúten consiste basicamente em eliminar da dieta, permanentemente, todos os produtos que contenham a substância. Portanto, portadores de doença celíaca não devem consumir alimentos como o trigo, centeio, cevada, malte ou aveia.

O acompanhamento com nutricionista é muito importante para oferecer os componentes nutricionais necessários para o adequado desenvolvimento físico e neuropsicomotor. Os produtos ricos em glúten podem ser substituídos por derivados do milho, arroz, batata ou mandioca.

Saiba quais são os principais alimentos que causam alergia.

601476 A doença celíaca é relativamente frente no Brasil. Intolerância ao glúten na infânciaA doença celíaca é relativamente frente no Brasil. (Foto: divulgação)

A intolerância ao glúten é um problema relativamente comum, podendo cursar de três diferentes formas, sendo que a manifestação clássica é a mais frequente entre as crianças. O quadro clínico geralmente é bastante sugestivo e o tratamento consiste na eliminação permanente do glúten da dieta.

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.