Menu

Saúde

Atualizado em 28 de maio de 2013, às 8:30 por Analu
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Glaucoma: o que é, sintomas, tratamento

O glaucoma é uma doença provocada por vários fatores. Saiba mais sobre o assunto e veja como tratar o glaucoma.

O glaucoma não é uma doença única, mas sim um grupo de doenças que resultam na lesão do nervo óptico, responsável por captar os estímulos visuais dos olhos e levar até o cérebro. Com a lesão do nervo óptico, as imagens capturadas pelos olhos não chegam até o cérebro, resultando em cegueira. Saiba mais sobre o que é, quais os sintomas e tratamentos do glaucoma.

626856 O uso de colírios pode ser indicado no tratamento do glaucoma. Foto divulgação Glaucoma: o que é, sintomas, tratamento O uso de colírios pode ser indicado no tratamento do glaucoma. (Foto: divulgação)

O que é glaucoma

O glaucoma é o nome dado ao grupo de doenças oculares que danificam o nervo óptico, responsável pelo envio das informações visuais para o cérebro. Em muitos casos, os danos ao nervo resultam do aumento de pressão intraocular.

Existem quatro principais tipos de glaucoma, sendo a segunda maior causa de cegueira nos Estados Unidos. São eles: glaucoma crônico, agudo, congênito e secundário. A causa é desconhecida, o que se sabe é que ocorre um aumento na pressão ocular com o passar dos anos.

Veja também tratamento contra glaucoma 

Causas do glaucoma

A pressão empurra o nervo óptico e a retina para trás do olho. O glaucoma crônico tende a ser causado por fatores hereditários. Os riscos para predisposição aumentam se houver algum familiar com essa doença. Além disso, os afrodescendentes são mais predispostos a desenvolver o problema.

Já o tipo agudo acontece quando a saída de humor aquoso (líquido presente dentro do olho) é bloqueada. Essa situação origina um aumento rápido, grave e doloroso na pressão intraocular. O uso de midriáticos e de alguns medicamentos podem provocar o glaucoma agudo.

O glaucoma congênito é hereditário, resultando do desenvolvimento anormal dos canais de humor aquoso no olho. Já o secundário pode ser provocado por drogas como corticosteroides, doenças sistêmicas e outras doenças oculares.

626856 O glaucoma pode ser causado por vários fatores. Foto divulgação Glaucoma: o que é, sintomas, tratamento O glaucoma pode ser causado por vários fatores. (Foto: divulgação)

Sintomas do glaucoma

O glaucoma é uma doença assintomática no começo. A perda visual só acontece nas fases mais avançadas, comprometendo a visão periférica. Em seguida, ocorre um estreitamento progressivo do campo visual até se transformar em visão tubular. Sem tratamento, o indivíduo pode perder a visão.

De forma geral, a doença só aparece com frequência a partir dos 40 anos, mas pode acorrer em qualquer idade, dependendo da causa que provocou o aumento da pressão intraocular.

Tratamento do glaucoma

O tratamento inicial é clínico, a base de colírios. Existem algumas drogas por via oral que só são utilizadas em casos de emergência. Alguns tipos de glaucoma estão associados a distúrbios que exigem tratamento específico. A pressão intraocular diminui e o problema visual desaparece. Dessa forma, a medicação é usada por pouco tempo enquanto é tratada a doença que provocou o glaucoma.

O tipo crônico do glaucoma exige o uso constante de colírios, já que não tem cura. Como pode ser controlado através da medicação, cirurgia ou laser, o indivíduo precisa ser mantido sob controle de forma contínua. A ausência de tratamento pode levar a cegueira.

626856 É importante consultar o oftalmologista para avaliar o caso. Foto divulgação Glaucoma: o que é, sintomas, tratamento É importante consultar o oftalmologista para avaliar o caso. (Foto: divulgação)

Veja também sintomas iniciais do glaucoma 

O glaucoma é uma doença que deve ser tratada o mais rápido possível, já que pode levar a cegueira. O indivíduo que for diagnosticado com o problema deve fazer acompanhamento oftalmológico e tratar também as causas que levaram ao glaucoma.

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.