Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Fasceíte necrotizante: o que é, sintomas, como tratar

Fasceíte necrotizante: o que é, sintomas, como tratar

Por Isah

A fasceíte necrotizante é uma condição rara, mas que nos últimos tempos tem se tornado conhecida por causa da repercussão de alguns casos na mídia.

Aimee Copeland precisou amputar as duas mãos e uma perna por causa da fasceíte necrotizante. (Foto:Divulgação)

Em 2012, a estudante americana Aimee Copeland contraiu a bactéria que devora a carne humana. Ela precisou ter a perna amputada e também perdeu outras partes do corpo, como as mãos e um pedaço do abdômen.

Nos Estados Unidos, cerca de 600 pessoas estão afetadas por algum tipo de bactéria que come carne humana. A taxa de mortalidade gira em torno de 25 a 30%.

Saiba mais: Celulares possuem mais bactérias do que vasos sanitários

O que é fasceíte necrotizante?

A fasceíte necrotizante é descrita como uma infecção bacteriana destrutiva. Ela é capaz de danificar a pele, a gordura e o tecido que cobre os músculos em pouco tempo de proliferação. Popularmente o problema é conhecido como “bactéria comedora de carne”.

De acordo com especialistas, a fasceíte necrotizante é uma grave infecção de pele e de músculo, que pode ser causada por diferentes tipos de bactérias e não só um único micro-organismo. A Streptococcus pyogenes, por exemplo, pode fazer com que o paciente desenvolva feridas em estágio de necrose que necessitam de amputações.

A bactéria come a carne humana, deixando o tecido escuro. (Foto:Divulgação)

As infecções causadas pela bactéria dependem de diversos fatores, como o sistema imunológico. Por exemplo, se o paciente está com baixa imunidade, os micro-organismos podem invadir com mais facilidade o seu corpo. As bactérias comem a carne humana porque elas precisam de nutrientes para se duplicar.

A fasceíte necrotizante foi descrita pela primeira vez no século IX, Jones na Guerra Civil Americana. Na época, o problema era visto como uma complicação bacteriana, que atingia as feridas causadas por armas de fogo.

A fonte da fasceíte necrotizante normalmente está associada a um trauma maior ou menor. A bactéria comedora de carne também pode ser contraída em uma cirurgia abdominal ou ser relacionada aos organismos anaeróbicos.

Sintomas da fasceíte necrotizante

Nas primeiras 24 horas após sofrer um trauma, a pessoa sente dor no local da lesão. A área afetada também fica quente, desenvolve uma vermelhidão e bolhas. Outros sinais são capazes de alertar a infecção, como febre, diarreia, fraqueza e sede intensa.

Nos dois dias após a lesão, a fasceíte necrotizante causa inchaço e escurecimento da pele do tecido. Bolhas cheias de líquido escuro também podem marcar presença no corpo do paciente, tal como a descamação da pele.

Se a infecção não for tratada em até cinco dias, o paciente desenvolve sinais de toxemia, pressão arterial muito baixa e perda da consciência.

Tratamento da fasceíte necrotizante

Para que o tratamento seja eficaz, o diagnóstico deve ser feito o quanto antes. (Foto:Divulgação)

Para que a fasceíte necrotizante possa ser tratada, é importante que o diagnóstico seja feito precocemente. Um exame anatomopatológico é capaz de identificar a presença da bactéria comedora de carne humana no organismo. A tomografia computadorizada permite identificar a extensão da doença e os locais atingidos.

O tratamento da fasceíte necrotizante envolve a administração de antibióticos, remoção do tecido necrosado, transfusão de sangue, amputação das extremidades e monitoramento dos órgãos vitais.

Veja também: Guitarrista do Slayer morre aos 49 anos

 

Recomendado para você
Bem Estar

Como limpar um filtro de água

Bem Estar

Tratamento caseiro para gota

Bem Estar

Sinais que indicam traição

Bem Estar

Remédio caseiro para baixar a glicose

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *