Menu

Saúde

Atualizado em 10 de junho de 2011, às 14:00 por Editorial MDT
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Dicas de Dietas para Diabéticos

O diabetes ou a diabetes (a palavra pode ser masculina ou feminina) é uma doença do metabolismo que causa o aumento anormal do açúcar ou glicose na corrente sanguínea pela baixa produção de insulina ou pelo uso incorreto desse hormônio pelo organismo. A insulina é produzida pelo pâncreas, responsável por transportar a glicose para dentro das células. Então, se esse órgão não estiver funcionando corretamente, há um acúmulo de glicose no sangue, que não chega às células.

Como a glicose é fonte de energia, os diabéticos sentem muito cansaço, fome e sede porque ela não chega às células. Se a diabetes não for tratada corretamente, pode causar problemas de saúde crônicos como derrame cerebral, problemas na visão, problemas de cicatrização, ataque cardíaco, insuficiência renal entre outros.

Há basicamente 2 tipos de diabetes: o tipo 1, que geralmente começa na infância ou na adolescência e é o tipo mais grave, pois o pâncreas do doente não fabrica a insulina. Sendo assim, devem ser aplicadas doses diárias do medicamento para suprir a falta de produção pelo organismo. Para tanto, o diabético tipo 1 deve ficar atento à sua alimentação, que deve ser balanceada. Ao mesmo tempo em que ele não pode comer alimentos doces ou com carboidratos, há momentos de hipoglicemia, em que ele precisa comer doces imediatamente para chegar ao equilíbrio.

A diabetes do tipo 2 é mais amena. Esse tipo de diabetes geralmente surge após os 30 anos e pode ser controlada apenas com alimentação balanceada e exercícios físicos.

A diabetes pode aparecer por hereditariedade, obesidade, sedentarismo, má alimentação ou estresse. Ainda não existe a cura efetiva para a diabetes, mas o tratamento pode ser feito pelo trabalho do endocrinologista em parceria com o nutricionista com uma dieta balanceada e exercícios físicos. Assim, é possível que o diabético tenha uma vida normal.

A dieta para diabéticos deve ser rica em vitaminas e fibras e quase nula em doces, carboidratos e gorduras. No entanto, nada impede que os diabéticos possam comer pequenas quantidades desses alimentos. Ele só deve saber lidar com a sua doença, fazendo as medições de glicose constantemente e seguindo as orientações do seu médico.

Os alimentos que podem ser consumidos livremente pelos diabéticos são as folhas como alface, acelga, agrião, repolho, coentro, cebolinha, salsa; legumes como palmito, abobrinha, couve-flor, pimentão, pepino, rabanete e chás de erva-doce, de camomila e de capim-santo.

frutas e verduras Dicas de Dietas para Diabéticos

Controladamente, o diabético pode se alimentar de carboidratos como arroz, massas, pão, torrada, pipoca e pamonha; legumes como batata, inhame, cará, mandioca, abóbora, cenoura, chuchu e quiabo; carnes de frango, miúdos, ovos, carne bovina e peixes; laticínios como leite, requeijão, queijo e iogurtes e produtos industrializados como óleo, manteiga, azeite e café.

carboidratos Dicas de Dietas para Diabéticos

Alimentos que devem ser evitados pelo diabético são a carne de porco e seus derivados, manteiga, nata, creme de leite, queijo curado, frituras, coco e leite de coco.

pururuca Dicas de Dietas para Diabéticos

Os diabéticos estão proibidos de comerem açúcar, doces e de ingerirem bebidas alcoólicas.

doces Dicas de Dietas para Diabéticos

Atualmente, há muitos produtos dietéticos disponíveis em supermercados e em lojas especializadas e a maioria deles têm o mesmo gosto dos alimentos feitos com açúcar comum. Portanto, os diabéticos não precisam mais passar vontades. Essas dicas de dietas para diabéticos podem ser seguidas para não correr o risco de ter os níveis de glicemia aumentados. Porém, as dietas para diabéticos devem ser preparadas por um especialista, pois cada organismo é diferente. Por isso, não deixe de consultar um médico frequentemente.

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.