Você está em: MundoDasTribos > Notícias > Serviços > Como funciona a guarda compartilhada

Como funciona a guarda compartilhada

A guarda compartilhada dá poder ao pai e a mãe, que em geral estão separados, sobre tomadas de decisões com relação aos filhos. Não faz muito tempo que a certeza de que a mãe seria a tutora da criança durante um processo de separação acabou. Atualmente, homens e mulheres lutam pelo direito de ficar com o filho igualitariamente, tento em vista o que é melhor para a criança.

Leia mais sobre: Guarda compartilhada: o que é

A guarda compartilhada é uma alternativa para os pais separados (Foto: Divulgação)

Muitas vezes, quando os filhos ficam com uma das partes, a guarda unilateral é a opção do juiz. Mas, quem visa a divisão da responsabilidade de fato, tenta ter compartilhada diante da lei a guarda do filho. A decisão pode ser muito positiva, se o casal entender como funciona esse tipo de situação. No entanto, alguns pais tem dificuldades de separar os assuntos relacionados a criação dos filhos com os problemas que os levaram a separação.

Quando escolher a guarda compartilhada?

Não existe a possibilidade de uma guarda compartilhada ser benéfica para a criança se o casal não mantiver um bom relacionamento. É essencial que os pais estejam em contato sempre, pois a criança deve ser educada da mesma maneira pelos dois, evitando confusões e dilemas que possam fazer mal aos pequenos. A guarda compartilhada existe para que ambos tenham um contato mais amplo com os filhos, podendo participar de sua vida com mais intensidade.

Saiba mais sobre: Pensão alimentícia – cálculo, direitos e deveres

Como funciona a guarda compartilhada?

A guarda compartilhada é um conceito vasto, que permite que as famílias decidam como vai funcionar. Alguns casais optam por alternar dias ou semanas de convívio com a criança. Já outros, criam uma rotina em que os filhos fiquem na casa de um, mas o outro tem total liberdade para pegá-los quando quiser ou fazer visitas. Por isso é importante que os responsáveis conversem e criem uma rotina que ajude as crianças, com relação a idas a escola, atividades extracurriculares e demais assuntos que as envolva.

A guarda compartilhada não faz mal para a criança (Foto: Divulgação)

A guarda compartilhada confunde a cabeça da criança?

A grande maioria dos especialistas acredita que a guarda compartilhada não é motivo de confusão com relação das crianças. Quando uma das partes possui a responsabilidade de tomadas de decisões com ao filho o trauma pode ser muito maior, pois a criança continua tendo duas casas, mas vê um dos pais com menos frequência, o que faz dessa visita uma obrigação, que nem sempre é agradável para ambas as partes. A guarda compartilhada é mais flexível. No entanto, se não existe um bom relacionamento entre os adultos envolvidos é melhor optar pela guarda unilateral.

Recomendado para você
Serviços

Saldo Online Caixa Econômica

Serviços

Novo Simulador Aposentadoria INSS

Serviços

Como Fazer CPF de Menor de Idade

Serviços

Cadeira de Ginástica Abdominal

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *