Menu

Saúde

Atualizado em 27 de fevereiro de 2013, às 6:30 por Analu
Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar > Como ajudar a criança a vencer a gagueira

A criança passa por dificuldades de gagueira logo quando começa a falar. Veja como ajudar seu filho a vencer a gagueira.

Logo quando a criança começa a falar é comum ela gaguejar ao pronunciar algumas palavras. Com isso, os pais ficam ansiosos e temem que o filho fique gago. Porém, só é considerada gagueira quando o problema durar muito tempo ou o quadro piorar. Saiba mais sobre o assunto e confira dicas de como ajudar a criança a vencer a gagueira.

586782 A gagueira é um problema muito comum logo quando a criança começa a falar. Foto divulgação Como ajudar a criança a vencer a gagueira A gagueira é um problema muito comum logo quando a criança começa a falar. (Foto: divulgação)

Gagueira normal na infância

Quando a criança começa a pronunciar suas primeiras palavras, é comum ela tropeçar e dizer “Ma..ma..mãe”, “Quero bo..bo..lacha” e muitas outras frases gagas. É normal nessa fase os pais se preocuparem e acharem que a criança está ficando gaga. Porém, não é preciso se preocupar, pois ela está começando a formar as pequenas frases e encontra dificuldade para isso.

Como o pequeno está passando pelo processo de formação da linguagem, podem aparecer dificuldades na hora de formar as frases. Isso porque ela está começando a montá-la na cabeça e se fica ligada ao início, pois está tentando lembrar a palavra.

Veja também aparelho para gagueira, como funciona 

O que fazer quando a gagueira persiste

Normalmente, após dois ou três meses que a criança começou a formar as frases, ela começa ter mais segurança e a gagueira temporária desaparece. Ela só é tida como anormal se o problema durar mais tempo ou for piorando cada vez mais. Nesse caso é necessário procurar ajuda de um fonoaudiólogo para analisar melhor o caso.

Existem vários tipos de tratamento, desde técnicos até feitos com ajuda de psicólogos. O ideal é consultar vários profissionais para saber melhor sobre os tratamentos. Caso a gagueira dure mais tempo, isso não quer dizer que a criança será gaga no futuro. Porém, deve ser tratada.

586782 Os pais devem lidar com calma com a gagueira da criança. Foto divulgação Como ajudar a criança a vencer a gagueira Os pais devem lidar com calma com a gagueira da criança. (Foto: divulgação)

Como ajudar a criança vencer a gagueira

1. Estimule a criança a falar: deixe que a criança fale naturalmente, mesmo se estiver gaguejando. Não a force a dizer as palavras, pois isso deve acontecer aos poucos;

2. Nunca brigue com ela por isso: a criança pode ficar com medo de falar e errar, por isso, jamais brigue ou corrija o que ela está tentando dizer. Apenas estimule a concluir a frase;

3. Não repita o erro da criança: procure falar certo, pois a criança vê os pais como espelhos e tenta imitá-los;

4. Ajude a solucionar a frase dita: se a criança começar a dizer “á…á…gua”, pergunte  a ela “Você quer água?” e dê a ela o copo. Procure colocar a palavra sempre em uma frase ao invés de dizer somente a palavra;

5. Não faça comentários sobre os erros: não comente e nem deixe que outras pessoas falem sobre os tropeços da criança na frente da mesma;

6. Mantenha a criança tranquila: a gagueira pode estar relacionada com o estado emocional e o ambiente no qual o pequeno vive. Portanto, é essencial manter a criança tranquila enquanto aprende a falar, sem cobranças.

586782 Se o problema for persistente é preciso consultar um fonoaudiólogo. Foto divulgação Como ajudar a criança a vencer a gagueira Se o problema for persistente é preciso consultar um fonoaudiólogo. (Foto: divulgação)

Veja também tratamentos para gagueira 

A gagueira na infância pode ser um estado normal logo quando a criança começa a falar. Porém, é preciso ficar atento para que o quadro não dure muito tempo ou piore cada vez mais. Caso isso ocorra, é preciso consultar um fonoaudiólogo para avaliar melhor o caso.

 

 

A categoria Saúde do portal Mundodastribos.com é um espaço informativo de divulgação e educação sobre os temas relacionados à saúde, nutrição e bem-estar, não devendo ser utilizado como substituto ao diagnóstico médico ou tratamento, sem antes consultar um profissional de saúde.