Menu
Você está em: MundoDasTribos > Notícias > Combustível adulterado: como reconhecer

Com um teste rápido, você pode saber se a gasolina leva maior quantidade de água do que o recomendado. Observar o desempenho do carro também pode ajudá-lo a identificar possíveis fraudes.

Infelizmente, esta infração é praticada com bastante frequência em postos de todo o país. (Foto: divulgação)

A adulteração do combustível é um problema sobre o qual todo o consumidor deve ficar atento. O uso de gasolina e álcool de má qualidade pode afetar o rendimento do veículo e ainda prejudicar alguns componentes.

Felizmente, de acordo com a Secretaria Estadual da Fazenda, esta é a infração que o motorista percebe de forma mais imediata, principalmente devido às consequências que ela traz para o carro (pode causar danos no sistema de injeção, na bomba de combustível, na vela, no bico e em outros componentes). Mesmo assim, é preciso ter uma atenção especial sobre este tipo de crime, já que ele é praticado com bastante frequência em postos de todo o país.

O combustível é batizado sempre que lhe é acrescentada uma substância não permitida pela ANP (Agência Nacional de Petróleo). Geralmente, as adições mais comuns são a de álcool hidratado, diesel, benzeno e equizano na gasolina, e de água no álcool.

Conheça aplicativos de celular para economizar combustível.

Como identificar combustível adulterado

Exceto a adulteração com água, as demais só podem ser identificadas em laboratório.(Foto: divulgação)

Para identificar se a gasolina está adulterada, você pode pedir o teste da proveta. Basta colocar 50 ml de gasolina em um tubo de ensaio de 100 ml e completar com a mesma quantidade de água (50 ml). Feito isso, você deve misturar as duas substâncias, porém sem agitar muito.

Com este procedimento, o álcool que estiver na gasolina vai se separar e se misturar com a água. Assim, a gasolina ficará na parte de cima do tubo e a solução aquosa (água e álcool) na parte de baixo. Caso haja mais de 62,5 ml de solução aquosa é sinal de que a gasolina possui mais álcool do que o recomendado.

Entretanto, é importante destacar que este teste identifica apenas adulterações com álcool. As adulterações feitas com solvente, por exemplo, só podem ser observadas em laboratório. Neste caso, os especialistas recomendam que o motorista fique de olho nas reações do carro. Problemas como dificuldade de partida, perda de potência, aumento do consumo de combustível e irregularidade na marcha lenta podem indicar se você abasteceu o veículo com combustível batizado ou não.

Saiba quais são os carros mais econômicos do Brasil.

Como se prevenir

Alguns sinais no veículo também podem indicar se ele foi abastecido com combustível batizado ou não.(Foto: divulgação)

Para não colocar o seu automóvel em risco, o ideal é abastecer no mesmo posto, ou variar o mínimo possível, e sempre exigir a nota fiscal. Com o comprovante em mãos, você vai poder comprovar que abasteceu no local e exigir o reparo dos danos que o produto causou ao veículo.

Agora, é só colocar essas orientações em prática e você, dificilmente, terá algum tipo de problema.


Recomendados para você:

RECEBA OS ARTIGOS VIA EMAIL