Menu
Você está em: MundoDasTribos > Chulé – Como tratar, como evitar

O chulé é causado pelo suor excessivo nos pés e devido à ação de bactérias. Mantendo uma boa higiene e tomando cuidados básicos, o seu pé fica livre desse mau cheiro.

O chulé pode aparecer em qualquer idade

Também conhecido como bromidrose, o popular chulé incomoda muita gente mundo afora. E o pior é incômodo não é só para o “dono” do mau cheiro, e desagrada também a quem está por perto. Imagine-se dentro de um ônibus lotado, muito abafado e de repente surge aquele odor desagradável. Não vai ser legal, não é mesmo?

Para não passar por esse tipo de situação, que pode atingir a crianças, adolescentes, adultos e idosos, tanto mulheres quanto homens, existem uma série de cuidados que qualquer um pode tomar, e que ajudam a evitar o chulé.

Quando ocorre

Tênis muito fechado e quente propicia o surgimento do mau odor

O chulé (ou bromidrose) é um odor corporal, que tem como causa a ação de bactérias encontradas na pele humana. Esses microorganismos se alimentam do suor, atuando na sua decomposição e fermentação, liberando gases, e é aí que surge o mau cheiro. Dessa forma, as pessoas que apresentam suor excessivo nos pés são as mais suscetíveis ao aparecimento do chulé.

Quem tem o costume de usar sapatos ou tênis muito fechados, de plástico ou de borracha, além de meias sintéticas, também está sujeito ao odor ruim, já que estes materiais contribuem para o aumento da transpiração e impedem a ventilação dos pés.

Também é comum o suor excessivo na planta do pé estar relacionado à produção de hormônio, no caso dos adolescentes, ou a doenças como diabetes, hipertireoidismo e obesidade. Juntamente com o chulé, podem aparecer coceiras, micose e alergia, entre outros problemas.

Como evitar

Manter uma higiene adequada nos pés é essencial para acabar com o chulé

Na maioria dos casos, uma higiene mais adequada nos pés e nos calçados, pode acabar com o chulé.  Outras atitudes que podemos tomar para evitar o mau cheiro são:

– Lavar os pés com frequência, usando uma escova macia para limpar entre os dedos, lembrando de secar bem ao final.

– Evitar sapatos de borracha.

– Dar preferência aos tênis e sapatos que possuam alguma abertura, para ventilar no interior do acessório.

– Trocar as meias com frequência, se for o caso, até mais de uma vez por dia. As meias de algodão são as mais indicadas.

– Não usar tênis sem meias.

– Sempre que possível, retirar os sapatos, para ventilar os pés.

Tratamento

Caso o chulé apareça, existem alguns tratamentos bastante simples, que você pode usar. O mais comum é a aplicação de pó anti-séptico, que é encontrado em qualquer farmácia ou supermercado. Ele atua na inibição da secreção de suor e evita a proliferação das bactérias. Deve ser aplicado nos pés antes de calçar as meias.

Existem ainda os métodos caseiros, como mergulhar os pés em uma solução de meio litro de vinagre e um litro de água, durante 15 minutos, duas vezes na semana, que segundo as pessoas mais antigas, funciona mesmo.

Novidade

Um novo tecido antibacteriano para as meias acaba de ser criado

Recentemente, pesquisadores de uma universidade espanhola anunciaram o desenvolvimento de um tecido antibacteriano, à base de fibras de celulose e zinco, que poderá ser usado na fabricação de meias. Segundo eles, o material não produz o mau cheiro depois de usado, e será um tratamento eficiente para acabar com o chulé. A previsão é de que ainda em 2012, o material já esteja disponível.


Recomendados para você:

RECEBA OS ARTIGOS VIA EMAIL