Menu

Economia

Atualizado em 7 de agosto de 2013, às 17:45 por Editorial MDT
Você está em: MundoDasTribos > Notícias > Minha Casa Minha Vida – Cadastro no Programa

plano habitacional 2010 Plano Habitacional

Para realizar o sonho da casa própria, muitas pessoas estão optando pelo plano habitacional. Esse sistema visa tornar o preço no imóvel mais acessível ao bolso do consumidor, dividindo em várias parcelas sem que as tarifas de juros extrapolem os limites do orçamento.

As instituições financeiras costumam se destacam com seus planos habitacionais, uma espécie de financiamento. A Caixa Econômica Federal promove um serviço desse segmento com excelência, mantendo as melhores condições no mercado. O financiamento habitacional Caixa se apresenta em diferentes modalidades, permitindo não só a compra do imóvel, mas também a reforma da casa.

As pessoas de baixa renda que vivem no estado de São Paulo podem conquistar a casa própria através da CNHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), onde os imóveis são construídos e distribuídos através de sorteios. Para contar com o auxilio do agente promotor de moradia popular, as famílias devem apresentar renda entre 1 a 10 salários mínimos. CNHU é de longe um dos melhores planos habitacionais do governo, por isso as pessoas devem obter mais informações sobre como adquirir um imóvel. Acesse o site da Secretaria da Habitação SP e conheça detalhes sobre a CHHU.

O Programa Minha Casa Minha Vida é uma outra iniciativa do Governo para facilitar a aquisição de imóveis residenciais, oferecendo vantagens no financiamento. As vantagens da compra pelo programa variam de acordo com a renda da família, a Caixa dá suporte para que as contratações sejam avaliadas e aprovadas. O objetivo é construir um milhão de casas e a prioridade se baseia em atender famílias que recebem até 3 salários mínimos. Confira a Cartilha Minha Casa Minha Vida.

Chamado de “Minha Casa, Minha Vida”, o programa prevê a construção de 1 milhão de moradias para famílias com renda de até 10 salários mínimos e terá início em 13 de abril. Até lá, o governo vai divulgar os procedimentos para acesso ao programa.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que o déficit habitacional é de 7,2 milhões de moradias no país, concentrado na faixa de até três salários mínimos.
Veja a seguir os principais pontos do plano.
RECURSOS
– Subsídio para moradias: 16 bilhões de reais;
– Subsídio em financiamentos do FGTS: 10 bilhões de reais, sendo 2,5 bilhões de reais do Orçamento e 7,5 bilhões de reais do FGTS;
– Fundo Garantidor em financiamentos do FGTS: 2 bilhões de reais;
– Financiamento à infraestrutura: 5 bilhões de reais; credito imobiliario caixa1 Plano Habitacional
– Financiamento à cadeia produtiva: 1 bilhão de reais;
PÚBLICO-ALVO
– Famílias com renda de até 3 salários mínimos: subsídio integral com isenção do seguro;
– Famílias com renda entre 3 e 6 salários mínimos: aumento do subsídio parcial em financiamentos com redução dos custos do seguro e acesso ao Fundo Garantidor;
– Famílias com renda de 6 a 10 salários mínimos: estímulo à compra com redução dos custos do seguro e acesso ao Fundo Garantidor;
DISTRIBUIÇÃO DAS MORADIAS
– O plano prevê a construção de 400 mil moradias para a faixa de até 3 salários mínimos e outras 400 mil para a faixa de 3 a 6 salários mínimos. Entre 5 e 10 salários mínimos, serão 200 mil casa;.
– A distribuição da construção vai respeitar o déficit habitacional nas regiões do país, seguindo os dados do IBGE:
– Sudeste – 37 por cento
– Nordeste – 34 por cento
– Sul – 12 por cento
– Norte – 10 por cento
– Centro-Oeste – 7 por cento
CONDIÇÕES FINANCEIRAS:
– Valor dos imóveis: de 80 mil a 130 mil reais (para renda de 3 a 6 mínimos);
– Prestações mínimas: 50 reais por mês comprometendo 10 por cento da renda para até 3 salários mínimos; para renda de 3 a 6 salários, comprometimento de 20 por cento;
– Taxa de juros: de 5 a 6 por cento ao ano;
– Prevê a redução dos custos de registro de imóveis: gratuito para renda familiar de até 3 salários mínimos; desconto de 90 por cento para renda familiar de 3,1 a 5 salários; desconto de 80 por cento para renda de 6,1 a 10 salários;
QUESTÃO LEGAL
– Uma medida provisória cria o marco legal para a regularização fundiária de áreas urbanas;

Vale a pena conhecer todas as modalidades de financiamento habitacional, comparar as condições que cada banco tem a oferecer antes de contratar um serviço. Avalie suas condições orçamentárias, de repente um plano do governo pode ser viável e contribuir com a compra do imóvel.

RIVIERA1 Plano Habitacional

RECEBA OS ARTIGOS VIA EMAIL