Bem Estar

Alzheimer: quais mudanças acontecem na saúde do idoso

Alzheimer – entenda as mudanças na saúde do idoso

Com a modernidade as pessoas estão vivendo mais. Assim, o número de idosos está aumentando em todo o planeta e, em consequência, temos que lidar mais com as doenças que afetam a terceira idade.

Uma das doenças mais faladas atualmente é o Alzheimer. A doença leva esse nome por ter sido descrita em 1906, pelo psiquiatra alemão Alois Alzheimer.

Essa é a principal causa de demência em maiores de 60 anos no Brasil. Esse problema neurológico leva a um desgaste emocional imenso, principalmente na família da pessoa afetada.

Como ocorre a doença.

Não se sabe ao certo o que leva ao aparecimento da doença. Existem indícios de que a genética está muito ligada, pois em algumas famílias se observa muito mais a frequência da doença do que em outras.

O que acontece no Alzheimer é que, uma proteína, chamada “beta amilóide”, no cérebro, começa a se quebrar de forma errada formando aglomerados que chamamos placas senis. Essas placas são tóxicas ao cérebro e acabam causando lesão de algumas regiões, levando aos sintomas. Também são observados emaranhados neurofibrilares de uma outra proteína, chamada “proteína tau”. Mas não se sabe ao certo o efeito dela na doença.

Só se consegue ver as modificações cerebrais no paciente após a morte, pois não há exames que consigam mostrar exatamente o que está acontecendo no cérebro. O diagnóstico é muitas vezes clínico, ou seja, pelos sinais e sintomas e descartando outras doenças.

Após a morte, quando é possível a retirada do órgão é que se consegue realmente fechar o diagnóstico de Mal de Alzheimer, evidenciando uma grande degeneração cerebral.

Sinais e sintomas

Cada paciente desenvolve a doença de uma maneira. Uns mais lentamente e outros mais rapidamente. É uma doença tão sutil que muitas vezes quando é percebida já está num estágio avançado.

O idoso começa a se esquecer das coisas. Mas não é aquele esquecimento comum que todos nós temos. Ele começa a se esquecer de coisas que fazia a muito tempo. Por exemplo, a dona de casa esquece como se faz arroz.

A família começa a perceber que existe algo errado quando se depara com certas situações. A paciente está colocando sal demais nas coisas, ou trocando o açúcar pelo sal. Atitudes estranhas desse tipo é que alertam quem convive com o idoso. Mais tardiamente, o paciente começa a se esquecer de onde mora.

Uma característica do Alzheimer é esquecer fatos recentes. O paciente lembra coisas que fez na infância, mas não lembra onde estava ontem. Esse momento começa a se tornar crítico, pois muitas vezes o doente acha que está no lugar errado e quer voltar para a casa dele. Mas, a casa que ele acha ser a dele é na qual morava há 20 anos.

Depois, começa a se esquecer dos parentes, os nomes das pessoas, dos filhos. No final, a pessoa com Alzheimer se torna acamada, perde a fala e os movimentos voluntários. Todas essas modificações são muito desgastantes emocionalmente para a família e para quem cuida do idoso.

Tratamento

Não há cura para essa doença. Os medicamentos utilizados apenas atrasam o curso da doença. É muito importante que o cuidador do paciente e a família tenham um acompanhamento psicológico, pois o desgaste emocional é muito grande.

Recomendado para você
Bem Estar

Festa de São João 2017 – Origem, Comidas Típicas, Simpatias

Bem Estar

Saiba como denunciar um caso de bullying

Bem Estar

Novas regras para cirurgia bariátrica no SUS

Bem Estar

Cuidados necessários com as orelhas furadas

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *